Órgão de fiscalização dos EUA prepara possível processo antitruste contra a Amazon (AMZO34)

Nos últimos anos, a comissão tem examinado as práticas da Amazon, incluindo se ela favorece seus próprios produtos em detrimento dos concorrentes

A Comissão Federal de Negócios (FTC, na sigla em inglês) dos EUA está preparando um possível processo antitruste contra a Amazon (AMZN; AMZO34). A empresa poderá responder por uma série de práticas consideradas como anticompetitivas, segundo pessoas familiarizadas com o tema.

O assunto ainda é estudado, disseram algumas das pessoas, e a comissão também pode optar por não prosseguir com o caso, mesmo que esteja se preparando para isso.

Os funcionários da Amazon ainda não tiveram reuniões finais e individuais com os comissários da FTC para apresentar seus argumentos contra uma contestação legal, disseram essas pessoas.

Nos últimos anos, a comissão tem examinado as práticas da Amazon, incluindo se ela favorece seus próprios produtos em detrimento dos concorrentes em suas plataformas e como trata vendedores externos no seu site, de acordo com algumas das pessoas familiarizadas com o assunto.

A FTC também está examinando as práticas de agrupamento do serviço de assinatura Amazon Prime da empresa, segundo o informado. Não foi possível saber exatamente quais aspectos do negócio a FTC visaria em um processo potencial da Amazon.

A Amazon e a FTC se recusaram a comentar. A empresa disse repetidamente que compete de forma justa e que seus serviços beneficiam clientes e vendedores em sua plataforma.

Se a comissão processar a companhia, isso representaria um momento marcante no mandato da presidente da FTC, Lina Khan, que construiu sua carreira argumentando, em um artigo acadêmico amplamente lido, que a Amazon acumulou muito poder de mercado e que a lei antitruste falhou em contê-la.

Esse caso da FTC também seria uma escalada dos esforços das autoridades antitruste dos EUA para controlar as maiores empresas de tecnologia do país. A comissão processou o Facebook em 2020, acusando-o de comprar e congelar pequenas startups para sufocar a concorrência. O caso continua pendente. O Departamento de Justiça, que compartilha a autoridade antitruste, entrou com dois processos antitruste amplos contra o Google, da Alphabet, incluindo um no mês passado que tem como alvo os negócios de tecnologia de anúncios da empresa.