Alfredo Setúbal: Itaúsa está distribuindo menos dividendos, mas vai voltar a volumes maiores

Presidente projeta aumento dos pagamentos com consolidação de investimentos feitos pela holding

O presidente da Itaúsa (ITSA3, ITSA4), Alfredo Setúbal, disse nesta quinta-feira (1) que a companhia está distribuindo menos dividendos, mas que no médio prazo os volumes serão maiores.

“Quando os investimentos estiverem mais consolidados e as dívidas estiverem menos relevantes nos balanços das empresas, a gente vai voltar a poder distribuir dividendos maiores”, afirmou em evento online para investidores. “Vejo a médio prazo a Itaúsa retornando aos níveis históricos de dividendos, na faixa de 37% a 40% dos resultados.”

“Nesse momento estamos em um vale. A Itaúsa está repassando basicamente os dividendos do Itaú, apesar de ter feito investimentos em diversas outras empresas que também pagam dividendos”, afirmou.

Esse “vale”, disse ele, ocorre por uma boa razão, já que as empresas investidas estão fazendo investimentos e desalavancando os balanços. “O banco também está distribuindo dividendos mínimos porque a carteira de crédito, que é muito demandadora de capital, está crescendo bastante’, completou.

Setúbal lembrou que entre 2017 e 2019, o volume de dividendos pagos aumentou “porque o Itaú Unibanco distribuiu dividendos muito altos”. Até hoje, a maior parte dos proventos distribuídos aos acionistas tem como origem o banco, mas a expectativa é que a participação das outras companhias que fazem parte da holding no volume total de dividendos aumente.

“Construímos um portfólio robusto nos últimos anos (…) e temos a expectativa de que, à medida que essas empresas se consolidem, teremos mais dividendos vindos do setor não-financeiro para que a gente possa distribuir nos próximos anos para nossos acionistas”, disse Setúbal. “Temos uma possibilidade grande de crescimento das empresas e isso já tem se refletido na nossa cotação.”