WEG supera cenário difícil e continua trajetória de crescimento, apontam analistas

A 'fábrica de bilionários' teve aumento de lucro e receitas no 4º trimestre de 2022

A WEG (WEGE3) entregou resultados fortes no quarto trimestre de 2022, com Ebitda superando as estimativas em 4%, enquanto o lucro líquido ficou dentro das expectativas, destacou o Santander em relatório.

O bom resultado operacional é explicado por uma “surpresa positiva na margem Ebitda, que a empresa atribui a ganhos de eficiência e alguma normalização da cadeia de suprimentos”, escrevem os analistas Lucas Barbosa, Lucas Esteves e Gabriel Tinem.

A administração também mencionou adições saudáveis à sua carteira de pedidos em mercados estrangeiros, dizem eles. Já a receita líquida consolidada cresceu refletindo a queda na receita doméstica e uma expansão nas receitas do mercado externo em dólares, apoiado por um desempenho forte na Europa.

Por segmento, equipamentos eletroeletrônicos permaneceram resilientes com forte demanda por produtos de ciclo curto e longo, e houve uma queda forte na divisão de motores comerciais e eletrodomésticos, dizem eles. A margem Ebitda permaneceu forte em 19,5%, já que a margem bruta foi resiliente, apoiada por ganhos de produtividade e estabilização de custos de matérias-primas.

O Santander tem recomendação de compra para as ações da WEG, com preço-alvo de R$ 43, potencial de alta de 10% ante o valor atua dos papéis.

‘Trajetória de crescimento’

Os resultados da WEG no quarto trimestre foram de alta qualidade e dentro das estimativas do mercado, apontou o Citi. O banco destacou em relatório o avanço da companhia no mercado internacional mesmo com a desvalorização do dólar nos três meses finais de 2022.

Os analistas André Mazini, Renata Cabral e Hugo Grassi Soares escrevem que é notável o crescimento de 27% nas receitas da companhia em 2022 mesmo com o cenário macroeconômico volátil.

“Para sustentar esse crescimento robusto, acreditamos que a empresa vai continuar apostando em novos mercados para expandir operações, como o setor de mobilidade elétrica”, comentam.

As receitas de R$ 7,9 bilhões e o lucro líquido de R$ 1,1 bilhão foram em linha com o que o Citi esperava para o quarto trimestre, destacam. Entre os destaques está o aumento na demanda por produtos do setor de energia, o que valida a aposta da WEG no setor, dizem.

O Citi tem recomendação de compra para WEG, com preço-alvo em R$ 44, potencial de alta de quase 15%.