Casas Bahia (BHIA3) vai agrupar ações na proporção de 25 para 1

Com a mudança, que entra em vigor em 28 de dezembro, companhia evita que o papel seja excluído do Ibovespa

A Casas Bahia (BHIA3) anunciou nesta segunda-feira (27) que seus acionistas aprovaram em assembleia o grupamento das ações à razão de 25 para 1.

Em comunicado, a varejista explicou que fará uma transição num prazo de 30 dias.

A partir de 28 de dezembro, a negociação com os papéis passará a acontecer apenas sob a forma agrupada.

Com a medida, a companhia procura evitar que a ação fique vulnerável a oscilações muito acentuadas.
A ação da Casas Bahia, ex-Via, fechou esta segunda-feira cotada a R$ 0,53.

Tomando esse valor como referência, na versão agrupada cada ativo da companhia valeria hoje cerca de R$ 13,25.

No ano, o papel acumula desvalorização de 73,8%, num período bastante desafiador para empresas de varejo no país.

O grupamento também é um meio de a Casas Bahia evitar que a ação seja excluída do Ibovespa, índice mais importante da bolsa brasileira.

Entre as regras de composição da carteira está a que exclui as chamadas penny stocks, ações cuja cotação é inferior a R$ 1 cada.