BTG (BPAC11) tem lucro líquido ajustado de R$ 2,263 bi no 1º trimestre, alta anual de 10%

Roberto Sallouti, CEO do banco, destacou o 'recorde de receitas' nos três primeiros meses de 2023

O BTG Pactual (BPAC11) teve lucro líquido ajustado de R$ 2,263 bilhões no primeiro trimestre de 2023, com alta de 28% sobre o trimestre anterior e de 10% sobre mesmo período do ano anterior. A receita total ficou em R$ 4,803 bilhões, com aumento trimestral de 32% e anual de 10%.

No primeiro trimestre, o retorno ajustado sobre o patrimônio (ROAE) foi de 20,9%, de 16,7% no quarto trimestre e 21,5% no primeiro trimestre de 2022. O índice de Basileia fechou o período em 15,5%, de 15,1% no trimestre anterior e 15% um ano antes.

A captação líquida de clientes (“net new money”, no jargão em inglês) foi de R$ 43 bilhões de janeiro a março, abaixo dos R$ 68 bilhões obtidos no quarto trimestre.

“Encerramos o primeiro trimestre com recorde de receitas e forte captação líquida mesmo em um ambiente mais desafiador, reflexo da resiliência e diversificação do nosso modelo de negócio”, afirmou Roberto Sallouti, CEO do BTG Pactual, em nota.

“Nossas franquias de cliente continuam crescendo, pautadas no comprometimento de longo prazo com nossos parceiros e clientes”, completou Sallouti.

Destaques do balanço

O BTG Pactual registrou a maior receita da série histórica no primeiro trimestre, de R$ 4,8 bilhões, com recorde em áreas como de crédito a empresas, gestão de recursos e de patrimônio. Houve queda, no entanto, em banco de investimento.

As receitas com a área de crédito a empresas, chamada pelo banco de Corporate & SME Lending, que inclui as áreas de atacado e de pequenas e médias companhias, ficaram em R$ 1,192 bilhão no primeiro trimestre, alta de 46% em relação ao mesmo período de 2022.

O portfólio de crédito somou R$ 143,4 bilhões no trimestre, avanço de 29% em 12 meses. “Continuamos comprando parte da carteira de crédito consignado do Banco Pan no primeiro trimestre de 2023, aumentando a diversificação do nosso portfólio”, diz o banco.

A área de gestão de recursos (Asset Management) teve receita de R$ 443 milhões, alta de 41% na comparação anual. Já na gestão de patrimônio e no banco de varejo (Wealth Management & Consumer Banking), as receitas atingiram R$ 694 milhões, avanço de 22% em 12 meses.

Em Sales & Trading (área que inclui corretagem e operações de mercado), a receita foi de R$ 1,485 bilhão, registrando estabilidade na comparação anual.

A área de banco de investimentos teve uma receita de R$ 260 milhões no primeiro trimestre, queda anual de 26%. Segundo o BTG, houve recorde em M&A (fusões e aquisições), apesar da menor atividade nos mercados de dívida corporativa e oferta de ações.