Bolsas da Europa recuam enquanto investidores avaliam PMIs

"A atividade econômica da zona do euro voltou a crescer no início do ano, de acordo com o PMI, aliviando as preocupações com uma recessão", disse um analista

Os principais índices acionários da Europa recuam na manhã desta terça-feira, com os investidores repercutindo a divulgação do índice de gerente de compras (PMI, na sigla em inglês) da zona do euro e de diversos países do continente europeu, a divulgação de balanços e as declarações da presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde.

Às 9h05, o índice Stoxx 600 operava em queda de 0,25%, a 453,36 pontos.

Enquanto isso, o índice DAX, de Frankfurt, descia 0,29%, o francês CAC 40 registrava desvalorização de 0,02% e a Bolsa de Londres tinha queda de 0,30%.

Mais cedo, entre os setores do Stoxx Europe 600, o setor de automóveis e peças tinha alta de 1,42%, enquanto o segmento de energia contabilizava queda de 0,92%.

Euro e libra

No horário citado, a libra operava em queda de 0,46%, a US$ 1,2316, enquanto o euro recuava 0,02%, a US$ 1,0865.

Já o índice DXY, que mede o peso do dólar ante seis moedas de mercados desenvolvidos, operava em queda de 0,14%, a 102,00 pontos.

Indicadores

A agenda de indicadores econômicos foi movimentada no continente europeu. O PMI composto da zona do euro, que reúne dados do setor industrial e também de serviços, avançou para 50,2 na leitura preliminar do mês de janeiro, de 49,3 em dezembro.

Já o indicador britânico recuou para 47,8 na leitura preliminar do mês de janeiro, de 49,0 em dezembro.

Na França, o PMI composto recuou para 49,0 na leitura preliminar do mês de janeiro, de 49,1 em dezembro e o PMI composto alemão avançou para 49,7 na leitura preliminar do mês de janeiro, de 49,0 em dezembro.

“A atividade econômica da zona do euro voltou a crescer no início do ano, de acordo com o PMI, aliviando as preocupações com uma recessão e dando ao BCE mais determinação para manter sua luta contra a inflação”, apontou Melanie Debono, economista da Pantheon Macroeconomics.

“O ligeiro aumento na atividade do setor privado na zona do euro no início do primeiro trimestre foi impulsionado principalmente por uma recuperação na atividade de serviços”, acrescentou a analista.

Com os investidores avaliando os últimos indicadores antes da reunião de política monetária do BCE, a presidente da autarquia, Christine Lagarde, afirmou em um evento ontem na Alemanha que o BC se comprometeu a combater a forte inflação que domina a zona do euro.

Outro dado importante que foi divulgado na manhã de hoje foi o índice de sentimento do consumidor da Alemanha para o mês de fevereiro.

O indicador aumentou para -33,9 em fevereiro, de -37,6 em janeiro, seu nível mais alto desde agosto, segundo os dados do grupo de pesquisa de mercado GfK informou hoje.

“Com o quarto aumento consecutivo, a tendência positiva no sentimento do consumidor está se consolidando”, disse o especialista em consumo da GfK, Rolf Buerkl. “Embora o nível ainda esteja muito baixo, o pessimismo diminuiu recentemente”, acrescentou ele.