Bolsas da Europa fecham em queda após dados do PIB dos EUA e Reino Unido

PIB dos EUA veio acima do esperado, mostrando a persistência do aquecimento econômico no país, o que pode esticar a política de juros do Fed

Os principais índices acionários da Europa fecharam em queda nesta quinta-feira, com os investidores repercutindo as perdas em Wall Street após a divulgação de dados econômicos nos Estados Unidos que mostraram a resiliência da economia americana.

A divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido também deixou os mercados pessimistas com uma possível recessão no país.

Após ajustes, o índice Stoxx Europe 600 fechou em queda de 0,97%, a 427,26 pontos.

O FTSE 100, índice de referência da bolsa de Londres, registrou perdas de 0,37%, a 7469,28 pontos, o DAX, de Frankfurt, teve queda de 1,30%, atingindo 13.914,07 pontos, e o CAC 40, de Paris, exibiu retração de 0,95%, subindo a 6.517,97 pontos.

Euro e libra

Por volta de 14h, o euro registrava queda de 0,22%, a US$ 1,05845, enquanto a libra recuava 0,41%, a US$ 1,20243.

Já o índice DXY, que mede o peso do dólar ante seis moedas de mercados desenvolvidos, operava em alta de 0,33%, a 104,504 pontos.

PIB americana vem acima do esperado

Durante a manhã, o Departamento do Comércio dos EUA divulgou que o PIB americano havia crescido 3,2% no terceiro trimestre, em uma terceira leitura, surpreendendo o mercado, que esperava uma expansão de 2,9%. Já o índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) subiu 4,3% no terceiro trimestre, enquanto o núcleo do índice do PCE avançou 4,7%.

Queda no Reino Unido

No continente europeu, o PIB do Reino Unido caiu 0,3% de julho a setembro em comparação com o trimestre anterior, segundo dados do Escritório de Estatísticas Nacionais, divulgado nesta quinta-feira. A expectativa dos economistas consultados pelo “The Wall Street Journal” era de uma queda de 0,2%.

“Olhando para o futuro, o Reino Unido provavelmente continuará com baixo desempenho. Esperamos que o país sofra a recessão mais profunda entre as principais economias em 2023, devido à gravidade da situação da política monetária e fiscal”, aponta Gabriella Dickens, analista da Pantheon Macroeconomics para o Reino Unido, em relatório.

Empresas

No mercado europeu, as companhias do setor de semicondutores ASML Holding e ASM International registraram queda de 4,11% e 3,25% respectivamente no fechamento depois que a empresa americana Micron Technology, parceira das companhias europeias, anunciou uma série de cortes de empregos no próximo ano e revelou uma redução aos seus planos de gastos de capital.