Bolsas da Europa revertem ganhos após fala de Powell e fecham no vermelho

Presidente do Fed diz que taxa de juros deve ser elevada a nível mais alto que o sinalizado anteriormente

As principais bolsas da Europa avançavam na manhã desta terça-feira (7), mas fecharam no vermelho depois que o presidente do banco central americano, Jerome Powell, indicou que a política de juros altos deve ser reforçada nos próximos meses, acima do projetado anteriormente.

Após ajustes, o índice Stoxx 600 fechou em queda de 0,77%, a 460,60 pontos.

Já o índice DAX, de Frankfurt, teve perda de 0,60%, a 15,559,53 pontos, enquanto o FTSE 100, de Londres, registrou queda de 0,13%, a 7.919,48 pontos.

O francês CAC 40 contabilizou recuo de 0,46%, a 7.339,27 pontos.

Entre os setores do Stoxx Europe 600, o segmento de bancos teve queda de 1,43%, enquanto o setor de lazer e turismo subiu 3,16%.

Euro, libra e dólar

Por volta das 14h10, o euro caía 1,04%, a US$ 1,05754. Já a libra tinha queda de 1,37%, a US$ 1,18596.

Juros seguirão ‘em território restritivo’

Em audiência no Comitê Bancário do Senado americano, Powell afirmou que dados recentes sobre a economia dos Estados Unidos vieram mais fortes que o esperado, o que indica que as taxas terminais de juro devem ser maiores do que o antecipado.

Powell declarou também que se a totalidade dos dados mostrarem que um aperto monetário mais rápido é necessário, o Fed está preparado para reacelerar o ritmo das altas.

“Restaurar a estabilidade de preços provavelmente irá requerer que mantemos a política monetária em território restritivo por mais tempo”, disse o presidente do BC americano.

Os comentários pressionaram negativamente o mercado acionário americano, além de impulsionarem os rendimentos dos Treasuries.

Discurso é ‘significativamente mais agressivo’

Para Stephen Stanley, do Santander, o discurso de Powell no Senado “é significativamente mais agressivo do que esperava”, destacando o foco da autoridade nos dados econômicos surpreendentemente fortes de janeiro.

“Embora ele [Powell] atribua parte da força ao clima excepcionalmente quente em janeiro, ele deixa claro que a conclusão é que a inflação está mais alta do que o esperado na época de nossa reunião anterior do FOMC”, escreveu em nota.

Indicadores europeus

Apesar do foco da sessão ter sido o discurso de Powell, agentes do mercado também avaliaram dados do continente europeu, como as encomendas à Indústria na Alemanha, que subiram 1,0% em janeiro, sendo este o segundo mês consecutivo de alta.