Bolsas dos EUA fecham em alta expressiva após redução de temor de estresse bancário

Investidores analisam efeitos da crise dos bancos regionais, mas atenções se voltam também para postura do Fed sobre juros

Os principais índices das bolsas de Nova York registraram alta nesta quarta-feira (29), recuperando-se da queda de terça à medida que as atenções se voltam novamente para o cenário de aperto monetário deixando o estresse provocado pela crise bancária em segundo plano.

O índice S&P 500 subiu 1,42%, o Nasdaq avançou 1,79% e o Dow Jones cravou alta de 1%.

Crise dos bancos no radar

Os investidores analisam os efeitos da crise dos bancos regionais dos EUA na economia geral e como os reguladores irão responder a esta turbulência.

Na terça, o vice-presidente de supervisão do Federal Reserve (Fed), Michael Barr, disse que o colapso do Silicon Valley Bank (SVB) foi um “caso clássico de má gestão” mas ressaltou que os impactos da falência do SVB – e do Signature Bank podem ser de grande alcance e causar danos ao sistema bancário mais amplo.

Para Barr, o colapso dos bancos regionais mostra que os EUA precisam implementar logo as reformas definidas no Acordo de Basileia III, além de estabelecer uma exigência de dívida de longo prazo para bancos que não são sistemicamente importantes, como eram os falidos SVB e Signature Bank.

“Durante este período de estresse financeiro, os mercados precificaram mais cortes nos juros”, afirma Agnès Belaisch, estrategista da Barings Investment Institute. “Mas eu ainda vejo mais altas nos juros pelo Fed. Nada mudou mas os mercados não estão totalmente convencidos”, disse.

Juros

Na manhã desta quinta-feira, a aposta majoritária, segundo o CME Group, de 55,6% do mercado, era de que o Fed vai deixar os juros inalterados na reunião de maio mas a expectativa de alta de 0,25 ponto percentual vem crescendo e já atinge 44,4%. Era de menos de 20% uma semana atrás.

A alta de ações de tecnologia com foco na China – depois das notícias da volta de Jack Ma e da reestruturação do Alibaba – também sustenta os índices no pré-mercado.

“O sentimento dos investidores está melhor e aponta para uma redução do estresse bancário. E o S&P 500 – que se beneficiou da queda dos yields que se seguiu ao colapso do SVB – segue acima de sua média móvel de 200 dias”, aponta o Swissquote Bank.

Apostas para o S&P 500

Mas o banco acredita que uma alta do S&P 500 acima do nível de 4.200 pontos desafiadora neste momento. Segundo ele, o mais provável é que os ganhos do S&P 500 sumam rapidamente com a alta dos yields à medida que o estresse bancário acabe.

Leia a seguir

Leia a seguir