Bolsas da Europa fecham em queda após CPIs de Alemanha e EUA e antes de decisão do BoE

Rumo dos juros nos mercados globais está no centro das atenções dos agentes financeiros

As bolsas europeias fecharam em queda nesta quarta-feira, mantendo-se em território negativo durante a maior parte do pregão. Dados de inflação da Alemanha e EUA ficaram no foco de investidores, que ainda esperam pela decisão de juros do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) amanhã.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,38%, a 463,64 pontos. Na bolsa de Frankfurt, o referencial DAX teve baixa de 0,37%, a 15.896,23 pontos, o londrino FTSE 100 recuou 0,29%, a 7.741,33 pontos. Por fim, o índice parisiense CAC 40 caiu 0,49%, a 7.361,20 pontos.

O CPI alemão subiu 7,2% na comparação anual de abril, desacelerando após subir 7,4% no mês anterior. O núcleo da inflação, contudo, manteve-se em 5,8%.

Economista-chefe para zona do euro da Pantheon Macroeconomics, Claus Vistesen comemora a perda de força do núcleo cheio da inflação alemã, e prevê o mesmo para o núcleo, mas não antes de meados do segundo semestre.

“O alívio está chegando, mas vai demorar um pouco para aparecer nos dados, indicando que o Banco Central Europeu (BCE), focado diretamente no núcleo da inflação em vez dos indicadores antecedentes, tem espaço para mais alguns aumentos de juros”, avalia Vistesen.

A leitura dentro das expectativas do CPI americano de abril – que subiu 0,4% na base mensal e 4,9% na anual – também não deu fôlego às bolsas europeias, embora tenha ajudado no bom desempenho do mercado acionário de Nova York até o início da tarde.

O investidor europeu aguarda ainda pela decisão de amanhã do BoE, que deve elevar o juro básico do Reino Unido em 25 pontos-base, a 4,5%. Para os mercados, mais importante que a decisão em si, já amplamente precificada, serão eventuais sinalizações para os próximos meses.

Outro foco hoje foram os balanços do setor privado. A anglo-russa Polymetal informou aumento na receita do primeiro trimestre, mas o anúncio de que a mineradora está estudando a possibilidade de mover a sede de suas operações para o Cazaquistão fez a ação tombar 24,64% e liderar de longe as quedas da bolsa londrina hoje.

Na Alemanha, a Continental teve alta no lucro líquido do 1° trimestre e sua ação subiu 3,06% em Frankfurt hoje. Já o Credit Agricole avançou 5,04% em Paris, após relatar lucro de US$ 1,23 bilhão entre janeiro e março, mais que o dobro do registrado há um ano.