Bolsas da Ásia fecham sem direção com investidores avaliando perspectivas econômicas e otimismo com a China

Otimismo em relação à reabertura da China segue forte após reunião entre autoridades chinesas e americanas em Davos

As bolsas da Ásia fecharam sem direção única nesta quinta-feira, com os investidores avaliando o cenário econômico global após a divulgação de dados mais fracos nos EUA, que alimentaram temores de uma recessão.

Na China, o otimismo em relação ao processo de reabertura segue forte, principalmente após uma reunião entre autoridades chinesas e americanas no Fórum Econômico Mundial.

Japão

Em Tóquio, o índice Nikkei registrou queda de 1,44%, a 26.405,23 pontos, com o setor de automóveis e o segmento de eletrônicos liderando as quedas da sessão, com a incerteza econômica deixando os investidores cautelosos durante a sessão. A Nissan Motor caiu 3,6% e a Lasertec registrou queda de 2,8%.

Coreia do Sul

Na Coreia do Sul, o índice Kospi contabilizou valorização de 0,51%, a 2.380,34 pontos, revertendo a sequência de duas sessões consecutivas em queda, com o setor de bens de consumo liderando os ganhos da sessão.

A operadora da rede de lojas de descontos E-mart subiu 2,9%. A empresa de produtos de beleza Amorepacific Corp teve alta de 2,4%. As empresas de alimentos Nongshim e Ottogi tiveram valorização de 1,8%.

Hong Kong

Em Hong Kong, o índice Hang Seng registrou queda de 0,12%, a 21.650,98 pontos, seguindo as perdas dos mercados futuros de Wall Street durante a noite, com dados econômicos fracos dos EUA renovando as preocupações com a recessão.

O setor de tecnologia e o segmento varejista lideraram as perdas da sessão. A NetEase caiu 3,0% após a recuperação de 6,5% na quarta-feira em meio à disputa de licenciamento com a empresa de jogos norte-americana Activision Blizzard. A Baidu e a Xiaomi registraram uma queda de 2,7%.

China Continental

Na China continental, o índice Xangai Composto teve alta de 0,49%, a 3.240,2794 pontos, com o otimismo dos mercados em relação a recuperação econômica da China.

O sentimento positivo do mercado também foi impulsionado pela reunião entre a secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, e o vice-primeiro-ministro chinês Liu He, que poderia ajudar a mitigar as tensões entre os dois países.

Empresas de software e do setor imobiliário lideraram os ganhos da sessão. A iFlytek subiu 9,1% e China _ International Capital Corp. teve alta de 1,2%.