Ações de varejistas caem após decisão do Copom; Magalu (MGLU3) e Via (VIIA) lideram perdas

Com dívidas altas e consumo enfraquecido, perspectivas para as empresas do setor pioram sem sinais de queda dos juros

Após a decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) de manter a Selic em 13,75% ao ano, as varejistas sofrem na bolsa na sessão desta quinta-feira (23).

A decisão não foi surpreendente, mas o comunicado da autarquia indica que o corte de juros não deve acontecer tão cedo. Juros altos são duplamente ruins para o varejo, já que é um setor que tem altas dívidas e depende do consumo, que é desestimulado quando a Selic está alta.

Às 14h46, as ações do Magazine Luiza (MGLU3) despencavam 11,4%, registrando a maior queda do Ibovespa no pregão. Via (VIIA3) perdia 8%, enquanto Lojas Renner (LREN3) caía 3,4%, Grupo Soma (SOMA3) perdia 1,2% e Arezzo (ARZZ3) 2,5%.

Na semana passada, a empresária Luiza Trajano, disse que a grande preocupação do setor varejista é justamente a taxa de juros em 13,75% ao ano. “Todo mundo está preocupado é com a falta de mercado, de venda, e sabe que juros altos são o primeiro fator para atrapalhar isso”, disse, em entrevista ao podcast 2+1, do GLOBO e da rádio CBN.

Leia a seguir

Leia a seguir