Tesla fecha em alta de quase 11%, a US$ 160,27, após resultados fortes no 4º tri

Montadora registrou lucro líquido recorde e lucro por ação de US$ 1,19, enquanto Wall Street previa cerca de US$ 1,13 por ação

As ações da Tesla (TSLA) fecharam em alta de 11%, cotadas a US$ 160,27, na sua melhor sequência de cinco dias desde março de 2022. O movimento foi embalado pelos resultados do quarto trimestre da companhia, divulgados ontem à noite.

A fabricante de veículos elétricos registrou lucro líquido recorde e lucro por ação de US$ 1,19, enquanto Wall Street previa cerca de US$ 1,13 por ação. A Tesla também disse que planeja fabricar cerca de 1,8 milhão de carros em 2023, acima dos cerca de 1,37 milhão produzidos em 2022. Esse crescimento previsto foi suficiente para tranquilizar os investidores.

“A demanda tem sido a maior questão neste início de 2023, após os recentes cortes de preços e o medo de uma desaceleração macro”, disse o analista da Baird, Ben Kallo, em um relatório. Ele tem recomendação de compra para as ações da Tesla, com preço-alvo de US$ 252 por ação.

O analista do Mizuho, Vijay Rakesh, também recomenda compra, com preço-alvo de US$ 250 por ação. Rakesh escreve em relatório que as margens de lucro trimestrais foram melhores do que o previsto.

As margens de lucro foram uma preocupação para os investidores depois que a Tesla ofereceu descontos no final de 2022 e reduziu drasticamente os preços no início de 2023. Rakesh também apontou que, embora os preços estejam caindo, a Tesla tem compensações de custos para ajudar a amortecer o impacto na margem — incluindo melhor utilização em duas novas fábricas e queda nos preços das matérias-primas.

No geral, cerca de 64% dos analistas que cobrem as ações da Tesla recomendam compra. É a taxa de recomendação de compra mais alta que a ação já teve, de acordo com o FactSet. O índice médio de recomendação de compra para ações no S&P 500 é de cerca de 58%. O preço-alvo médio de analistas é de cerca de US$ 206 por ação.