Citi reduz expectativa com Rede D’Or depois de fusão com SulAmérica indicar lucros menores

Acordo com a SulAmérica deve acrescentar risco de execução iminente em projetos de curto prazo, entre outros entraves, pensando sobre o preço das ações da Rede D’Or

O Citi cortou sua recomendação para as ações da Rede D’Or de compra para neutra e rebaixou o preço-alvo de R$ 39 para R$ 33, ao incorporar os resultados do terceiro trimestre de 2022, novos negócios e premissas macroeconômicas, levando a redução na projeção de lucro este ano e no próximo.

Os analistas Leandro Bastos e Renan Prata escrevem que o recente acordo com a SulAmérica deve ajudar não apenas a reduzir o risco de seus ambiciosos planos de crescimento, mas também impulsionar sinergias operacionais, estimadas preliminarmente em R$ 6 bilhões em valor presente líquido potencial.

Dito isso, afirmam eles, a complexidade operacional da nova empresa deve ser maior daqui para frente, e a combinação de risco de execução iminente em projetos de curto prazo, projetos inativos de fusões e aquisições e desafios persistentes de empréstimos na SulAmérica deve continuar pesando nas estimativas de lucros.

Assim, eles reduziram a projeção de lucro líquido ajustado da nova empresa para 2023 em 21%, para R$ 2,16 bilhões, e para 2024 em 25%, para R$ 3,5 bilhões, refletindo projeções de receita mais fracas e alavancagem operacional mais branda na Rede D’Or, bem como estimativas mais fracas para SulAmérica.

Além disso, a combinação de ciclo de recebíveis mais longo e menor índice de cobertura pode continuar a levar a taxas de cancelamento mais altas daqui para frente, afirmam os analistas.

Eles também revisaram os planos de crescimento orgânico da Rede D’Or, incluindo 6,7 mil leitos a serem abertos em regiões identificadas, o que pode aumentar a capacidade do mercado local em 14%, elevando a densidade de leitos de 2,7 para 3 leitos por 1 mil vidas.