Ações da Petrobras (PETR3 e PETR4) desabam mais de 5% em dia de tombo do Ibovespa

Cenário pessimista para ativos de risco derruba bolsas globais

O Ibovespa operava em queda de mais de 2% no pregão desta sexta-feira, abaixo dos 112 mil pontos, refletindo embolso de lucros e um cenário pessimista para ativos de risco em todo o mundo. No radar do investidores está o aperto monetário nas principais economias do mundo.

Além disso, o estímulo econômico do governo do Reino Unido, com corte de impostos e mais empréstimos pelo governo, contribui para a cautela dos investidores. Outros reflexos da situação atual são a forte alta dos juros futuros hoje e o avanço do dólar frente a uma cesta de moedas fortes.

Entre as maiores quedas do índice durante a tarde estavam ações de commodities, refletindo a perspectiva de menor crescimento global e a desvalorização do petróleo.

Petrobras ON (-6,64%), Petrobras PN (-6,01%) e 3R Petroleum (-5,59%) estavam entre as baixas mais fortes. Também entre os recuos mais intensos estavam MRV ON (-3,25%) – o setor de construção é um dos mais sensíveis à alta dos juros futuros, como vem acontecendo hoje – e Cosan ON (-5,64%).

Já a alta mais expressiva era Equatorial ON (+7,31%), que subia após chegar a acordo com a Enel Brasil para comprar a Celg Distribuição (Celg-D).