Analistas classificam resultados da Cielo no 4º tri como positivos

Ações da Cielo estão sendo negociadas a um preço atrativo de oito vezes o lucro por ação estimado para 2023, dizem os analistas

Analistas classificaram como positivos os resultados da Cielo (CIEL3) no quarto trimestre, divulgados na noite de ontem, e destacaram pontos como os custos operacionais abaixo do esperado e tendências positivas para as receitas. Por volta das 15h15, as ações da credenciadora caíam 3,02%, a R$ 5,13. Já em um ano, a alta é de quase 150%.

O Credit Suisse afirma que o lucro líquido recorrente da Cielo – de R$ 490,1 milhões, alta de 63,3% na comparação anual – ficou 7% acima das expectativas da instituição, com rentabilidade em alta. Os analistas acrescentam que as receitas vieram em linha com o esperado, enquanto os custos operacionais e resultado financeiro surpreenderam positivamente.

Para a instituição, as ações da Cielo estão sendo negociadas a um preço atrativo de oito vezes o lucro por ação estimado para 2023. A recomendação para os papéis é de compra (“outperform”).

O Goldman Sachs também destaca os esforços de controle de custos. A instituição diz que o lucro veio 9% acima das suas expectativas, devido a custos e despesas operacionais abaixo do esperado, efeitos parcialmente compensados por maiores despesas financeiras. “Assim, esperamos uma reação positiva do mercado”, dizem os analistas. A recomendação para as ações é “neutra”.

A Guide também classifica o resultado como positivo. “Pelo 6º trimestre consecutivo, a Cielo entregou crescimento no seu lucro líquido, entregando crescimentos resilientes frente a cenários macroeconômicos mais adversos. A companhia entregou tanto uma melhora de seus volumes quanto de suas margens nesse trimestre, enquanto mostrou ter controle de seus custos.”