Sua estratégia é minerar dividendos? Preste atenção nessas sete indicações do Itaú BBA

Sugestões consideram expectativa de pagamento de proventos entre 2024 e 2025 e sustentabilidade da distribuição no longo prazo

A equipe de estratégia em ações do Itaú BBA indicou nesta segunda-feira (17) sete ações que vê como destaques para composição numa carteira de dividendos.

Confira:

Ação SetorMotivo
Banco do Brasil (BBAS3)BancosUm dos maiores índices de dividendos da bolsa, com 20% de rentabilidade média sobre o patrimônio (ROE)
CPFL
(CPFE3)
ElétricoDividend yield de dois dígitos, revisões positivas de lucros, ROE acima de 20% e desconto sobre a média do setor
Randon
(RAPT4)
TransportesCrescimento médio anual de quase 30% do lucro. Papel está bastante descontado para a média em termos de preço/lucro.
Santos Brasil
(STBP3)
Portos ROE em torno de 30%, forte crescimento de resultados e revisões para cima
Direcional
(DIRR3)
Construtora Aumento de 3% no dividend yield em 2025, atingindo 7% em 2025
PetroReconcavo
(RECV3)
PetróleoForte crescimento de lucros, alto ROE e distribuição de proventos atrativa
Cury
(CURY3)
Construtora60% ROE, crescimento acima de 20% ao ano e revisões positivas de lucros
Fonte: Itaú BBA

Itaú BBA explica critérios para ações recomendadas

A ações recomendadas são de empresas que conseguem crescer gerando lucros e pagando dividendos.

Dessa forma, a seleção leva em conta as expectativas de pagamento de proventos para 2024 e 2025.

Além disso, Daniel Gewehr, Matheus Marques e Victor Cunha, que assinam o relatório, também consideraram a sustentabilidade dos lucros no longo prazo.

Adicionalmente, a lista também leva em conta o preço atrativo das ações em relação ao dividendo oferecido.

“Destacamos também ações com aumento significativo nos dividendos previstos para o próximo ano”, assinalaram os analistas.

Por fim, há casos de empresas com dividendos menores, mas com potenciais recompras de ações, o que pode elevar a remuneração dos acionistas.

Setores da bolsa que devem ser destaques em dividendos

Para os estrategistas, ações de petróleo e gás serão as maiores pagadoras de dividendos em 2024. O setor deve perder força em 2025, mas se manter em destaque.

Enquanto isso, as construtoras devem ter o maior aumento de dividend yield no período 2024-25, passando de 5,1% em 2024 para 8,5%.

O BBA também aposta em crescente distribuição de proventos das concessionárias de serviços públicos e das empresas de mídia e entretenimento.

Já o nível de dividendos dos setores de mineração, siderúrgico e financeiro (bancários e não bancários) devem ficar estáveis.

Leia a seguir

Leia a seguir

Estratégia de dividendos se mostra vencedora

Segundo os estrategistas, “histórias de dividendos crescentes são um bom lugar para se posicionar em tempos de incerteza.”

Essa conclusão vem a partir do cruzamento do desempenho do IDIV, índice da B3 com empresas com melhores históricos de pagamento de dividendos, em relação ao Ibovespa.

Pelos cálculos do Itaú BBA, nos últimos cinco anos, o IDIV rendeu 55,2%, enquanto o Ibovespa teve rentabilidade de 22,1% no período.