Ações da Sabesp (SBSP3) têm forte queda após divulgação de resultados fracos para o 4º tri

Analistas entendem que tarifas e custos afetaram negativamente o balanço da empresa

A Sabesp (SBSP3) reportou resultados ruins com tarifas médias mais baixas e um forte aumento nos custos, segundo análise de especialistas do mercado nesta sexta-feira (24), depois da apresentação do balanço da empresa.

A empresa de saneamento e abastecimento reportou lucro líquido de R$ 642,2 milhões no quarto trimestre de 2022. O resultado é 13,2% superior em relação ao mesmo período de 2021, segundo o balanço enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta quinta-feira.

Ações

Os papéis da empresa caíam por volta das 11h50 desta sexta, com desvalorização de 4,59% em relação ao último fechamento, cotados a R$ 45,83.

Em 12 meses, as ações da empresa registram valorização de 1,93% na bolsa.

Recomendações de compra

O Itaú BBA tem recomendação de compra para as ações da Sabesp, com preço-alvo de R$ 74,9, potencial de alta de 65%.

O Citi também recomenda compra para Sabesp, com preço-alvo em R$ 70, potencial de alta de 45,1%.

Da mesma maneira, o Credit Suisse tem recomendação de compra para a estatal paulista, com preço-alvo em R$ 66,70, potencial de alta de 38,3%.

Itaú BBA: resultado abaixo do esperado

Para os analistas do Itaú BBA, os resultados vieram fracos, mas devem melhorar nos próximos trimestres, dado o impacto positivo da revisão tarifária e a redução de custos a ser entregue pela nova administração, diz o Itaú BBA, em relatório.

Os analistas Marcelo Sá, Filipe Andrade e equipe escrevem que a receita ficou abaixo das estimativas, com tarifas médias abaixo do previsto e volumes ficaram estáveis. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ficou aquém do previsto por custos mais elevados, dizem.

Segundo eles, os custos com inadimplência vieram muito acima do esperado. Além disso, a Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de São Paulo (Arsesp) deverá publicar no dia 8 de abril a nota técnica final anunciando o resultado da revisão tarifária extraordinária, e o dado preliminar aponta para um aumento de 6,37%.

Citi: privatização ainda é o foco

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) apresentou resultados abaixo do esperado no quarto trimestre, com volumes mais fracos em água impactando o resultado da empresa, diz o Citi.

Os analistas Antônio Junqueira e Guilherme Bosso escrevem que o lucro líquido da companhia foi beneficiado de um crédito fiscal, mitigando efeitos de maiores despesas financeiras.

Apesar dos resultados mais fracos, o banco ainda vê as ações da Sabesp a preços atrativos e pontua que os papéis estão mais sob influência do noticiário envolvendo sua privatização.

Credit Suisse: tarifas e custos afetam resultados

Os resultados operacionais da Sabesp vieram abaixo do esperado, impactados por menor tarifa média e maiores custos gerenciáveis, diz o Credit Suisse.

Os analistas Carolina Carneiro e Rafael Nagano escrevem que as receitas da estatal cresceram 13,8%, cerca de 6% menos que as estimativas, com volumes fracos e mix tarifário menor.

A linha de custos, por sua vez, foi afetada por maior inadimplência e despesas com pessoal. O lucro líquido também veio abaixo do esperado por conta do resultado financeiro ruim.

“Continuamos a acreditar que os principais gatilhos para a companhia permanecem a privatização, reajuste tarifário e ganhos de eficiência com a nova diretoria”, comenta o banco.

Leia a seguir

Leia a seguir