Magalu (MGLU3) e Renner (LREN3) têm forte queda com manutenção de isenção que pode beneficiar Shein e Shopee

Varejistas nacionais alegam que sites estrangeiros usam remessas reservadas a pessoas físicas para evitar taxação

Ações da Magalu (MGLU3) e de outras varejistas de bens duráveis recuam na B3 na tarde desta terça-feira (18) após o governo brasileiro manter a regra de isenção para remessas de pessoas físicas. A medida é vista como negativa para varejistas do Brasil e positiva para plataformas estrangeiras.

Por volta das 15h30, Lojas Renner ON (LREN3) caía 4,30%, Magazine Luiza (MGLU3) recuava 2,73%, Via ON (VIIA3) operava em queda de 2,03% e Arezzo ON (ARZZ3) perdia 1,48%.

Recomendação de Lula

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) determinou que o ministério não misture mudança na isenção para transações entre pessoas físicas com fortalecimento na fiscalização de empresas de comércio eletrônico que estejam burlando a lei.

Impacto fiscal

O ministro da Comunicação Social, Paulo Pimenta, disse que a previsão de arrecadação que havia com o fim da isenção, de R$ 6 bilhões, será alcançada por medidas administrativas para coibir fraudes de empresas que enviavam compras como se fossem de pessoas físicas. “Estamos buscando o mesmo resultado, com medidas administrativas, sem que haja nenhum reflexo para pessoas físicas”, disse.

Leia a seguir

Leia a seguir