123 Milhas: Turismo pede investigação sobre suspensão de pacotes e passagens promocionais

Empresa informou que suspenderá temporariamente os pacotes com datas flexíveis e a emissão de passagens já vendidas

O Ministério do Turismo acionou neste sábado (19) o Ministério da Justiça e Segurança Pública para que a pasta avalie iniciar uma apuração sobre a suspensão de pacotes com datas flexíveis e de emissão de passagens da linha promocional pela agência de viagens 123 Milhas.

A decisão da empresa, classificada como “grave” pelo Turismo, foi anunciada na véspera, sexta-feira (18), e, conforme pontuou o governo, irá afetar viagens já contratadas da linha “Promo”, de datas flexíveis, com embarques previstos de setembro a dezembro de 2023.

A empresa 123 milhas informou que irá suspender temporariamente os pacotes com datas flexíveis e a emissão de passagens promocionais. Entre as medidas, a empresa disse que iria devolver integralmente os valores pagos pelos clientes que compraram passagens, hotéis e pacotes de viagem. O reembolso obedecerá critérios de correção monetária, acima da inflação.

“Devido à persistência de circunstâncias de mercado adversas, alheias à nossa vontade, a linha PROMO foi suspensa temporariamente e não emitiremos as passagens com embarque previsto de setembro a dezembro de 2023”, alegou a agência, em nota, na publicada na internet.

Investigação sobre o caso 123 Milhas

A apuração deverá ser feita pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), que integra o Ministério de Justiça e Segurança Pública. Para o Turismo, é necessário esclarecer as razões dos cancelamentos, identificar todos as pessoas atingidas e promover a reparação de danos a todos os clientes prejudicados.

“O Ministério do Turismo já acionou o Ministério da Justiça e Segurança Pública para que, por meio da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), avalie a instauração de um procedimento investigativo que esclareça as razões de tais cancelamentos, identifique todos as pessoas atingidas e promova a reparação de danos a todos os clientes prejudicados”, disse em nota o Ministério do Turismo, chefiado por Celso Sabino (União-PA).

A pasta ainda declarou que ambos os ministérios estão “empenhados na busca de mecanismos que evitem que situações semelhantes voltem a se repetir e na responsabilização de empresas que, porventura, tenham agido de má-fé”. “O MTur e o MJSP acompanharão, de perto, o avanço das investigações preliminares e manterão informadas todas as pessoas e setores envolvidos”, concluiu.

Segundo a 123 Milhas, as passagens já emitidas, que possuem localizador ou e-ticket, estão mantidas. Os pedidos da linha Promo que ainda não foram emitidos, com embarques previstos para os meses de setembro, outubro, novembro e dezembro de 2023, serão cancelados. “Nesse caso, estamos devolvendo integralmente os valores pagos pelos clientes”, diz a empresa.

Com informações do Estadão Conteúdo