Sam Altman, do ChatGPT, é eleito CEO do ano pela revista Time

Executivo comanda a OpenAI, criadora do ChatGPT

Sam Altman, de 38 anos, é o CEO do ano, de acordo com a Time. A revista revelou o resultado nesta quarta-feira (6). O executivo comanda a OpenAI, criadora do ChatGPT. Em um longo texto publicado no site da Time, a publicação relembrou as recentes polêmicas envolvendo Altman. Ele foi demitido da OpenAI e retornou à empresa como CEO dias depois:

“Foi um estranho Dia de Ação de Graças para Sam Altman. Normalmente, o CEO da OpenAI voa para casa em St. Louis para visitar a família. Mas desta vez o feriado veio depois de uma luta existencial pelo controle de uma empresa que alguns acreditam ter o destino da humanidade em suas mãos. Altman estava cansado. Ele foi fazer uma caminhada em seu rancho em Napa Valley e depois voltou para São Francisco para passar algumas horas com um dos membros do conselho que acabara de demiti-lo e o readmitiu no espaço de cinco dias frenéticos. Ele guardou o computador por algumas horas para cozinhar macarrão vegetariano, tocar música alta e beber vinho com seu noivo, Oliver Mulherin. “Esta foi uma loucura 10 de 10 para se viver”, disse Altman à Time em 30 de novembro. “Então, ainda estou me recuperando disso”.

Imagem de Sam Altman, do ChatGPT, eleito CEO do ano pela Revisa Time
Sam Altman, do ChatGPT, é eleito CEO do ano pela Revisa Time (Foto: Reprodução)

Forbes

Com um patrimônio líquido de US$ 1 bilhão em abril de 2024, Sam Altman entrou para a lista de bilionários da Forbes neste ano. Vale lembrar que o CEO da OpenAI não possui participação acionária na empresa, cujo valor é estimado em mais de US$ 80 bilhões.

Assim, o executivo deve sua riqueza a investimentos que fez como presidente da incubadora de startups Y Combinator de 2014 a 2019, uma aposta inicial no Stripe e participações no Reddit e na startup de fusão nuclear Helion.

Relembre a polêmica

A OpenAI, startup criadora do ChatGPT e sinônimo de inteligência artificial, anunciou no dia 22 de novembro, que chegou a um acordo para que Sam Altman retornasse à empresa como CEO dias após sua demissão. Assim, o executivo, afastado pelo conselho de diretores da OpenAI uma semana antes, foi reintegrado sob a supervisão de uma nova diretoria.

“Eu amo a OpenAI, e tudo o que fiz nos últimos dias foi para manter essa equipe e sua missão unidas”, escreveu Altman no X, antigo Twitter, em resposta ao anúncio de seu retorno.

A reintegração de Altman é a resposta para a crise que colocou quase todos os funcionários e investidores da empresa contra o conselho formado por quatro pessoas que o demitiu. No dia 20 do mês passado, quase todos os mais de 700 funcionários da OpenAI ameaçaram sair. Assim, pressionaram o conselho a renunciar e a chamar de volta Altman e Greg Brockman, co-fundador da OpenAI.

Brockman, que deixou a empresa após a demissão de Altman, retornou ao lado dele.

Novo conselho

Altman atuará sob a supervisão de um novo conselho de diretores. O grupo agora é composto pelo ex-CEO da Salesforce, Bret Taylor, como presidente, o ex-secretário do Tesouro dos EUA, Larry Summers, e Adam D’Angelo, membro do atual conselho da OpenAI e CEO da plataforma Quora.

O conselho que demitiu Sam Altman era formado D’Angelo, também co-fundador da OpenAI, Ilya Sutskever, a empresária de tecnologia Tasha McCauley e Helen Toner, do Centro de Segurança e Tecnologia Emergente da Universidade de Georgetown. Dos quatro membros, apenas D’Angelo estará no novo conselho.

Mudança de posição

De acordo com o Financial Times (FT), pressionado pelos funcionários da startup, Sutskever mudou de posição na manhã do dia 20 de novembro. Assim, passou a apoiar a reintegração de Altman.

D’Angelo, Toner e McCauley teriam negociado em conjunto e apoiaram um resultado que permitiu que apenas um deles permanecesse, disse uma pessoa ao FT envolvida nas negociações. Além disso, ela revelou que haverá uma investigação independente sobre o que ocorreu.

A demissão de Sam Altman

A direção da OpenAI informou que o afastamento de Altman ocorreu depois que uma revisão descobriu que ele “não era consistentemente sincero em suas comunicações” com o conselho de administração, que havia perdido a confiança em sua capacidade de liderar a empresa.

Altman catapultou o ChatGPT para a fama global enquanto atuava como CEO da empresa. Assim, no ano passado, tornou-se a voz mais procurada do Vale do Silício para falar sobre a promessa e os possíveis perigos da inteligência artificial.

Além disso, na semana da demissão de Sam Altaman, a OpenAI anunciou que o cofundador Brockman deixaria o cargo de presidente do conselho. Porém, segundo a empresa, ele permaneceria como presidente.

Brockman também se demitiu

Em seguida, Brockman publicou no X uma mensagem que enviou aos funcionários da OpenAI. “Com base nas notícias de hoje, eu me demito”, escreveu ele.

Em outra postagem no X na noite do dia 17, Brockman disse que Altman foi convidado a participar de uma reunião por vídeo com os membros do conselho da empresa, quando o cofundador e cientista-chefe Ilya Sutskever informou a Altman que ele estava sendo demitido.

Brockman acrescentou que foi informado de sua remoção da diretoria em uma ligação separada com Sutskever pouco tempo depois. “Sam e eu estamos chocados e tristes com o que a diretoria fez hoje”, escreveu Brockman no X.

Mas afinal, quem é Sam Altman?

Sam Altman nasceu em Illinois, Chicago, em 1985. De acordo com uma reportagem do The New Yorker, ele começou a desenvolver seus conhecimentos em informática aos 8 anos. À época, ele teria aprendido a programar e desmontar o Macintosh, um dos primeiros computadores da Apple.

Atualmente ele tem 38 anos. Chegou a abandonar a Universidade de Stanford aos 19 anos para abrir sua primeira empresa. Já no segundo ano da faculdade, ele e o então namorado começaram a trabalhar no Loopt, um dos primeiros programas de rastreamento, em que os usuários poderiam compartilhar suas localizações entre si.

A companhia acabou sendo vendida por US$ 43 milhões para a Green Dot em 2012. Dois anos mais tarde, convidado pelo executivo Paul Graham, ele assumiu a aceleradora Y Combinator. Essa mesma empresa foi uma das investidoras da Loopt e havia atuado no lançamento do Airbnb.

Em 2015, Sam Altman ajudou a fundar a organização sem fins lucrativos OpenAI, na qual passou a trabalhar em tempo integral alguns anos mais tarde. A fundação da empresa contou com apoio financeiro do bilionário Elon Musk, da empresária Jessica Livingston e do cofundador do LinkedIn Reid Hoffman, entre outras entidades. No primeiro ano, a companhia conseguiu juntar mais de US$ 1 bilhão.

“Escravizamos a inteligência artificial ou ela nos escravizará”, comentou Altman numa entrevista para a revista The New Yorker, em 2016.

Em 2019, sob o comando de Altman, a OpenAI criou uma subsidiária com fins lucrativos. A empresa chamou a atenção da Microsoft, que, naquele ano, tornou-se parceira e colaborou com mais US$ 1 bilhão para elaboração de projetos.

Em novembro de 2022, Sam Altman se tornou uma estrela no universo da tecnologia ao lançar a ferramenta de inteligência artificial ChatGPT.

Vida privada

Filho de judeus e homossexual assumido, Altman contou para os pais sobre sua orientação sexual aos 16 anos. Em 2017, ele recebeu da ONG Gay & Lesbian Alliance Against Defamation (GLAAD) um prêmio por sua atuação para promover a diversidade LGBT na tecnologia. Atualmente, ele mantém um relacionamento com o engenheiro de software australiano Oliver Mulherin.

Em entrevista recente para a New York Magazine, Altman afirmou que ele e seu namorado querem ter filhos em breve. O executivo, que cresceu como o mais velho de quatro irmãos no que chama de “família judia de classe média”, disse que gosta de famílias grandes.