PLR: redução no lucro da empresa pode afetar o pagamento de participação nos lucros?

Entenda se você pode ficar sem o dinheiro extra neste ano

Vira e mexe, a gente se depara com alguma notícia de empresas em crise. Não muito distante, tivemos os casos de Americanas, Oi, MRV, Marisa e Tok&Stok, que têm gerado preocupação de profissionais que esperam receber participação nos lucros e resultados (PLR).

Por exemplo, somente o rombo da Americanas pode impactar o resultado financeiro de bancos que são seus credores, como Deutsche Bank, Bradesco, Santander Brasil e BTG Pactual.

Então, como fica a participação nos lucros e resultados (PLR) nesses casos? Se não há lucro, não há pagamento? Aliás, se o lucro for menor do que o esperado, o pagamento de PLR também cai? Faz sentido?

Pois bem, para entender essa lógica, confira as explicações de Lucas Oggiam, diretor-executivo da empresa de recrutamento PageGroup.

Resultado ruim pode afetar a participação nos lucros e resultados?

Se você está contando em receber um bom dinheiro como participação nos lucros e resultados, mas soube que a empresa não foi tão bem quanto esperava, prepare-se.

“Por definição, PLR tem um impacto direto positivo e negativo no aumento e diminuição dos lucros da empresa”, afirma Lucas.

Portanto, se o último trimestre do ano foi ruim para sua empresa, é muito provável que o PLR seja ruim para você também.

“Considerando que o último trimestre de 2022 teve um impacto maioritariamente negativo no mercado, certamente a maioria dos PLRs vai sofrer alguma consequência”, alerta.

Quanto da PLR pode ser afetada por um resultado ruim?

Está preparado? Então, vamos lá.

Lamentamos informar que, em casos mais críticos, quando o prejuízo causado supera o lucro criado nos trimestres anteriores, o pagamento de PLR pode até ser zerado. Afinal, se a empresa não foi tão bem quanto havia planejado, não tem o que distribuir de lucros.

Colaboradores podem ter uma ideia de quanto receberão de PLR antes de a empresa divulgar os valores?

Nem sempre é possível saber quanto você vai embolsar. Por um lado, tudo está atrelado às regras de PLR estabelecidas no programa de cada empresa. Por outro lado, é preciso aguardar o resultado obtido pela empresa.

“Quando o pagamento de participação nos lucros e resultados está objetivamente atrelado somente aos resultados financeiros finais da empresa, é possível fazer uma previsão, sim”, diz o especialista.

Leia a seguir

Leia a seguir

Ele afirma, contudo, que essa situação costuma ser atípica. “A maioria das companhias tem critérios para avaliação que vão além do seu resultado financeiro, como metas individuais, comportamento, avaliação de performance etc.”, acrescenta.

As empresas podem cortar o pagamento de PLR de uma hora para outra?

O pagamento de PLR deve seguir as regras estabelecidas no programa de PLR de cada empresa. Além disso, a PLR é regulamentada por lei, sabia? Explicamos tudo aqui.

Ou seja, como define Lucas, tudo depende do formato do acordo homologado entre funcionário e empresa.

Entretanto, “considerando que tipicamente há uma subjetividade razoável na avaliação de cada profissional para distribuição do PLR, isso [de a PLR ser cortada] até pode acontecer”, explica.

Vantagens de ter participação nos lucros e resultados (PLR)

Para os profissionais, a vantagem de ter PLR é clara: podemos ganhar uma remuneração extra que varia de acordo com a nossa performance e os resultados da empresa, de modo geral.

Mas, e para as empresas: quais são as vantagens de pagar PLR? “Planos de incentivo de curto e longo prazo costumam ser estratégias frequentes de empresas estruturadas para motivar seus funcionários”, afirma Lucas.

O objetivo – na prática – é fazer com que as pessoas se sintam parte da estratégia da empresa para que elas trabalhem com mais engajamento para alcançar o melhor resultado geral possível.

Além disso, “o espírito de dono e colaboração em equipe pode aumentar quando todos recebem uma parte do resultado positivo da empresa”, explica o especialista.