Petrobras (PETR4) pode ter ‘valorização forte’ se transformar metade do lucro de 2023 em dividendos, aponta Bradesco BBI

A nova proposta de dividendos da estatal deve ser anunciada até a divulgação dos resultados financeiros do primeiro trimestre, previstos para 11 de maio

A partir do questionamento recorrente de investidores sobre em que nível de pagamento de proventos em relação ao lucro (“payout”) as ações da Petrobras (PETR4) reagiriam positivamente, o Bradesco BBI afirma que toma a Vale (VALE3) como uma referência. O banco lembra que a mineradora deve pagar, com recompras, um rendimento de 14% este ano.

“A nosso ver, como empresa estatal em um setor legado, a Petrobras não poderia pagar muito menos. Portanto, acreditamos que qualquer política anunciada com um pagamento de até 50% do ‘bottom-line’, que tem sido similar ao fluxo de caixa operacional, não faria a ação reagir muito”, comentam os analistas Vicente Falanga e Gustavo Sadka.

Eles apontam que um pagamento de 50% se traduziria em US$ 12 bilhões, considerando a previsão de lucro do banco de US$ 24 bilhões para este ano e o preço do petróleo tipo Brent de US$ 90 por barril. Isso se traduziria em um rendimento de 16%, muito próximo ao da Vale.

“Portanto, esperaríamos alguma reação positiva das ações. Qualquer coisa maior do que isso pode resultar em uma valorização bastante forte”, destacam. “Se a empresa se preocupa com seu valor de mercado, ela deve estabelecer um fluxo robusto e previsível de dividendos, capaz de suportar mudanças na alocação de capital e flutuações de commodities”, acrescentam.

Eles lembram que a nova proposta de dividendos deve ser anunciada até a divulgação dos resultados financeiros do primeiro trimestre, previstos para 11 de maio.

Em relação ao exercício de 2022, a Petrobras anunciou um pagamento total R$ 215,7 bilhões em proventos e registrou lucro de R$ 188,32 bilhões. O montante final desse pagamento, entretanto, ainda depende de aprovação em assembleia de acionistas marcada para quinta-feira (27).

“Nosso cenário-base é que o governo aprovará esse valor e também acreditamos que seja o cenário-base do mercado hoje. Caso não sejam aprovados, as ações devem reagir negativamente”, observam.

Em relação às expectativas para o primeiro trimestre, o banco prevê o fluxo de caixa operacional em cerca de US$ 8 bilhões, considerando aproximadamente US$ 2 bilhões provenientes da venda de Albacora Leste.

“Se a empresa encerrar o trimestre com níveis de caixa semelhantes ao quarto trimestre, poderá pagar até US$ 7 bilhões em dividendos, no melhor cenário. O ‘bottom-line’ estará mais próximo de US$ 6 bilhões a US$ 6,5 bilhões, enquanto nosso cenário-base estima algo entre US$ 3 bilhões e US$ 4 bilhões”, dizem.

O Bradesco BBI mantém a recomendação neutra para as ações preferenciais da Petrobras (PETR4), com preço-alvo de R$ 26, praticamente em linha com o valor registrado hoje, em R$ 27,22.