Qual é o melhor país da Europa para investir?

Especialista em investimentos internacionais aponta a região e os motivos que o levaram à escolha

Qual é o melhor país da Europa para investir? Essa é uma pergunta bem frequente tanto entre investidores que buscam alternativas de investimento quanto entre aqueles que estão apenas curiosos. Independentemente de você fazer parte de um outro grupo, possivelmente irá gostar de saber a opinião de Charles Burrows, chefe de investimentos internacionais do Neela Bank.

Qual o melhor país da Europa para investir?

“Na Europa, o melhor lugar para investir seria a Ilha de Man, que faz parte do Reino Unido, porém pertence a um governo independente do governo britânico”, acredita ele.

Onde fica a Ilha de Man?

Para quem não sabe, a Ilha de Man (Isle of Man, em inglês) fica no meio do mar da Irlanda, entre o oeste da Inglaterra, o sul da Escócia e o leste da Irlanda do Norte. Ela tem uma área de 572 quilômetros quadrados.

Quais são os benefícios do melhor país da Europa para investir?

De acordo com Burrows, o principal benefício é que a ilha tem um governo independente. “Ou seja, se mudar o regulamento de imposto no Reino Unido, a Ilha do Man não seria obrigada a seguir”, diz ele.

Além disso, ele destaca que seus investidores têm acesso a mais de 35 moedas em uma conta só, o que permite acesso do mundo todo e não só de bens em dólar ou euros.

E tem mais uma vantagem interessante. “Quem é não residente está isento de impostos”, afirma ele.

É seguro investir na Europa?

“A Europa é considerada um dos lugares mais seguros e protegidos do mundo”, afirma Burrows.

Sobre a ilha, que considera ser o melhor lugar da Europa para investir, ele destaca que o país tem um dos governos mais antigos do mundo, desde 1216. “Além disso, não tem dívida, enquanto outros países têm bastante”, afirma. “Ou seja, tem baixíssima chance de mudar a lei de impostos”, diz ele.

Quais são as alternativas para investir na Ilha de Man?

De acordo com Burrows, vale a pena considerar investimentos como ações de companhias de metais preciosos e fundos imobiliários locais. Mas atenção: caso você tenha interesse, lembre-se que ambos ativos são de renda variável. E, portanto, você deve considerar se os riscos que você pode correr tem a ver com seu perfil de investidor.

Leia a seguir

Leia a seguir