Setor elétrico deve continuar a sentir pressão de deterioração macroeconômica em 2023, diz UBS BB

Cenário macroeconômico deve afetar negativamente o lucro das companhias elétricas, diz analista

O setor elétrico deve continuar a ficar pressionado em 2023 com a alta nos juros, em meio às turbulências política e econômica, aumentando seu custo de dívida e reduzindo retornos das companhias, diz o UBS BB.

O analista Giuliano Ajeje escreve que a deterioração do cenário macroeconômico vai afetar negativamente o lucro das companhias elétricas, com algumas delas tendo que rolar dívidas para evitar calotes.

O banco destaca que EDP Brasil e CPFL Energia precisam rolar boa parte da sua dívida, o que vai afetar sua geração de fluxo de caixa operacional em meio a renegociação a juros mais altos.

“O impacto no valor presente líquido das elétricas é proporcional ao aumento no custo de capital e duração de dívida das companhias”, comentam. Eletrobras, Engie e Eneva são algumas das empresas também afetadas pelo cenário.