Natura (NTCO3) pode reduzir 32% da remuneração de conselheiros e diretores; ações sobem

A empresa também propõe diminuir o seu conselho de administração, de 13 para 9 membros

A Natura &Co (NTCO3) vai propor uma redução de 32% na remuneração dos seus administradores durante a assembleia geral extraordinária que a companhia irá realizar no fim de abril.

Segundo a companhia, o valor proposto será de R$ 77,8 milhões para o período entre maio de 2023 e abril de 2024, inferior aos R$ 115,1 milhões pagos entre maio de 2022 e abril de 2023.

“A proposta de remuneração global dos administradores da companhia leva em consideração sua nova estrutura administrativa e de governança”, diz a Natura &Co, no documento que embasa as propostas da companhia para a assembleia.

Ações

Na última sexta-feira (27), as ações da empresa encerraram o pregão em alta de 2,25%, cotadas a R$ 13,63. Nesta segunda, os papéis subiam mais 1,25% por volta das 11h35, cotados R$ 13,80.

Nos últimos 12 meses, porém, o resultado é negativo. As ações caem 46,5% no período.

Autonomia às unidades de negócio

Segundo a companhia, a nova remuneração está alinhada ao objetivo de simplificar o modelo de negócios, por meio da descentralização das funções do grupo, dando mais responsabilidade e autonomia às unidades de negócio.

Na mesma assembleia, a Natura &Co vai propor a redução do tamanho do conselho de administração de 13 para 9 membros e a criação do cargo de diretor-presidente. Fábio Barbosa será nomeado para a posição.

Redução do conselho de 13 para 9 membros

A empresa de cosméticos anunciou que também vai propor a redução no tamanho do seu conselho de administração, reduzindo de 13 para 9 membros, durante assembleia geral extraordinária que está marcada para o fim de abril.

Saídas

Com isso, a empresa anunciou nesta segunda-feira que Ian Martin Bickley, Jessica Di Lullo Herrin, Wyllie Don Cornwell, Nancy Killefer e Fábio Barbosa renunciaram às suas posições no colegiado.

Barbosa vai permanecer como o principal executivo do grupo, sendo eleito como diretor-presidente, de acordo com a proposta do novo estatuto social da empresa, que cria o cargo.

Reformulação

Segundo a Natura &Co, as mudanças estão dentro do contexto da reformulação da estrutura de governança corporativa e do processo de reestruturação da companhia iniciado em junho do ano passado.

Leia a seguir

Leia a seguir