PIB dos EUA cresce 1,1% no 1º tri e inflação ao consumidor sobe acima do esperado

Já os pedidos de seguro-desemprego vieram bem abaixo da previsão de analistas

Três indicadores econômicos importantes dos Estados Unidos foram divulgados nesta quinta-feira (27). O mercado conheceu os números dos pedidos de seguro-desemprego, PIB do primeiro trimestre e inflação ao consumidor.

O Produto Interno Bruto dos EUA cresceu 1,1% no primeiro trimestre de 2023, em base anualizada, de acordo com dados divulgados há pouco pelo Departamento do Comércio do país. A expansão da economia americana foi inferior à expectativa de crescimento anualizado de 2% previsto por analistas consultados pelo “The Wall Street Journal”.

Com o resultado preliminar, o PIB dos EUA marca uma desaceleração significativa em relação à alta de 2,6% observada no quarto trimestre de 2022.

Inflação

Já índice de preços de gastos com consumo (PCE) ganhou força, ao acelerar de 3,7% na leitura passada para 4,2% no primeiro trimestre deste ano. Ao mesmo tempo, o núcleo do indicador, que exclui os preços dos voláteis itens de energia e alimentos, também anotou aceleração, ao subir 4,9% no primeiro trimestre, ante 4,4% no trimestre anterior. A expectativa para o núcleo era de alta de 4,4%.

Seguro-desemprego

Os pedidos de seguro-desemprego nos EUA caíram em 16 mil na semana passada, encerrada no dia 22, em relação ao número revisado da semana anterior, a 230 mil, de acordo com dados divulgados há pouco pelo Departamento do Trabalho. O resultado de hoje veio bem abaixo do esperado e contrariou a previsão de analistas consultados pelo “The Wall Street Journal”, de 249 mil.

A média móvel de 4 semanas foi de 236.000, uma queda de 4.000 em relação à média revisada da semana anterior. A média da semana anterior foi revisada para cima em 250, de 239.750 para 240.000.

Já os pedidos continuados da semana caíram 3 mil em relação ao número da outra semana, a 1,858 milhão, enquanto sua média móvel de quatro semanas aumentou 10.250, a 1,836 milhão, de acordo com a média revisada, segundo o Departamento do Trabalho.

Leia a seguir

Leia a seguir