PIB da zona do euro fica estável no 4º trimestre, confirma revisão

Com o resultado, o bloco evitou entrar em recessão técnica no fim do ano passado

O Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro ficou estável no quarto trimestre de 2023 ante os três meses anteriores, segundo revisão divulgada nesta quarta-feira (14) pela Eurostat, como é conhecida a agência de estatísticas da União Europeia (UE).

Com a estabilidade, o bloco evitou entrar em recessão técnica no fim do ano passado, depois de sua economia encolher 0,1% no terceiro trimestre ante o segundo.

Na comparação anual, o PIB da zona do euro teve leve expansão de 0,1% entre outubro e dezembro.

Os resultados do PIB confirmaram estimativas preliminares, divulgadas no fim de janeiro, e vieram em linha com as previsões de analistas consultados pela FactSet.

Produção industrial

A produção industrial da zona do euro subiu 2,6% em dezembro ante novembro de 2023, segundo dados com ajustes sazonais publicados nesta quarta pela Eurostat.

O resultado surpreendeu analistas consultados pela FactSet, que previam recuo de 0,2% no período.

No confronto anual, a produção industrial do bloco teve expansão de 1,2% em dezembro.

Neste caso, o consenso da FactSet era de queda de 4,4%. A Eurostat também revisou números da produção de novembro, para ganho mensal de 0,4% e redução anual de 5,4%.

CPI do Reino Unido

A inflação ao consumidor (CPI) do Reino Unido se estabilizou no mês passado, contrariando expectativas de alta.

Dados do ONS, como é conhecido o órgão de estatísticas do país, mostram que a taxa anual do CPI britânico ficou em 4% em janeiro, no mesmo nível de dezembro.

O resultado de janeiro veio abaixo da expectativa de analistas consultados pela FactSet, que previam aceleração da taxa a 4,2%.

Na comparação mensal, o CPI do Reino Unido caiu 0,6% em janeiro. Neste caso, o consenso da FactSet era de queda de 0,3%.

Já o núcleo do CPI britânico, que desconsidera preços de energia e alimentos, avançou 5,1% na comparação anual de janeiro, também repetindo a variação de dezembro.

A projeção da FactSet era de alta de 5,2%.

Com informações do Estadão Conteúdo

Leia a seguir

Leia a seguir