Capitólio: 10 mortes e chuva ainda afeta Minas Gerais

Em Capitólio, um paredão de rocha pesando cerca de 10 mil toneladas se desprendeu do cânion e atingiu embarcações com turistas no lago de Furnas, matando dez pessoas e ferindo outras 32
Pontos-chave:
  • A equipe do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais encontrou no domingo os corpos de três pessoas que estavam desaparecidas após o acidente que aconteceu por volta das 12h30 no sábado
  • Com isso, o número de mortos subiu para dez. A queda do paredão de rocha atingiu quatro embarcações, das quais duas afundaram, e 32 pessoas ficaram feridas

As chuvas provocaram destruição e morte no fim de semana em Minas Gerais. Em Capitólio, um paredão de rocha pesando cerca de 10 mil toneladas se desprendeu do cânion e atingiu embarcações com turistas no lago de Furnas, matando dez pessoas e ferindo outras 32.

Em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, a BR-040 ficou interditada desde a manhã de sábado, depois que um dique de contenção de água das chuvas da Mina de Pau Branco, da Vallourec, transbordou, inundando os dois sentidos da rodovia que liga o Estado ao Rio de Janeiro. Ainda no sábado, seis famílias foram retiradas de suas casas como medida preventiva de evacuação das áreas mais próximas do transbordamento. A companhia providenciou no domingo a remoção de mais de 400 animais silvestres para criadouros e viveiros credenciados por órgãos ambientais.

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais determinou a suspensão das atividades da Vallourec na Mina de Pau Branco, atendendo a um pedido do Ministério Público do Estado. A empresa deve apresentar, em 48 horas, um plano de ação e cronograma de avaliação da estabilidade da barragem. A empresa também deve apresentar relatórios semanais das medidas adotadas. A Vallourec está sujeita a multa de R$ 1 milhão por dia se não cumprir as determinações.

O Ministério Público solicitou ainda o bloqueio de pelo menos R$ 1 bilhão da empresa para garantir eventuais ações de reparação. O pedido deve ser analisado pela Justiça hoje. A Vallourec confirmou que foi notificada do processo judicial e está se inteirando do teor da ação.

No domingo, a concessionária Via 040 recebeu autorização da Agência Nacional de Mineração (AMM) para fazer a limpeza da pista da BR-040 junto com equipes da Vallourec. A expectativa é que a rodovia seja liberada ainda hoje.

Em Capitólio, a equipe do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais encontrou no domingo os corpos de três pessoas que estavam desaparecidas após o acidente que aconteceu por volta das 12h30 no sábado. Com isso, o número de mortos subiu para dez. A queda do paredão de rocha atingiu quatro embarcações, das quais duas afundaram, e 32 pessoas ficaram feridas.

A Marinha do Brasil afirmou que abrirá inquérito para apurar as causas do deslizamento. Em entrevista coletiva, o prefeito de Capitólio, Cristiano Geraldo da Silva (PP), disse que nunca foi feito estudo de análise de risco geológico onde ocorreu o desabamento. O Corpo de Bombeiros ainda atua no local com cerca de 40 militares.

Em Brumadinho, a Prefeitura do município retirou de casa 247 pessoas por causa da inundação causada pela elevação do Rio Paraopeba. Por causa das fortes chuvas, o nível do Rio Paraopeba, que costuma ser de 1,5 metro, superou 7 metros e alagou a cidade, segundo a Defesa Civil do município. A elevação do rio também fez a concessionária Arteris Fernão Dias interditar totalmente a rodovia BR-381, no quilômetro 506,5, em São Joaquim de Bicas, na região metropolitana.

Com reportagem do Valor Econômico e agências.

Leia a seguir

Leia a seguir