Bolsas da Ásia fecham em alta, acompanhando Nova York em meio a sinais de desinflação nos EUA

Ontem, após o fechamento das bolsas na Ásia, os EUA divulgaram o seu índice de preços ao produtor (PPI) de março, que mostrou recuo mensal de 0,5% e crescimento anual de 2,7%, bem abaixo dos 4,9% do mês anterior

As bolsas asiáticas acompanharam o pregão de ontem em Nova York e fecharam em alta firme hoje, com destaque para o mercado acionário de Tóquio, que também reagiu a comentários do presidente do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Kazuo Ueda, durante encontro com ministros de finanças e outros chefes de BCs de países do G20.

Ontem, após o fechamento das bolsas na Ásia, os EUA divulgaram o seu índice de preços ao produtor (PPI) de março, que mostrou recuo mensal de 0,5% e crescimento anual de 2,7%, bem abaixo dos 4,9% do mês anterior. O núcleo, que exclui preços de itens voláteis, subiu 0,1% ante fevereiro e 3,6% em relação a março de 2022.

O PPI americano de março “está alimentando o otimismo de que poderemos começar a ver um efeito semelhante nos números do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) nos próximos meses, aproximando-nos assim de possíveis cortes de juros ainda este ano”, avalia o analista Michael Hewson, da CMC Markets. Um dia antes do PPI, o CPI dos EUA mostrou desaceleração no índice cheio em março, mas com um núcleo ainda muito elevado.

O índice Nikkei, referência da bolsa de Tóquio, fechou com ganho de 1,20%, a 28.493,47 pontos. Entre ações, o destaque ficou com a Fast Retailing, que subiu 8,49% após resultados trimestrais fortes e revisão positiva de suas previsões para este ano.

Investidores da bolsa japonesa observaram ainda comentários do presidente do BoJ, Kazuo Ueda, durante reunião com seus pares no G20. Segundo Ueda, que assumiu este ano a presidência do BC, a política de afrouxamento monetária continuará. O dirigente ainda afirmou que o BoJ espera por uma desaceleração da economia global em 2023, mas não uma recessão severa.

Já na China continental, o Xangai composto terminou o pregão em alta de 0,60%, a 3.338,15 pontos, enquanto o Hang Seng, de Hong Kong, subiu 0,46%, a 20.438,81 pontos.

Além da percepção de arrefecimento da inflação americana, as bolsas chinesas foram impulsionadas por dados domésticos positivos ao longo da semana. Ontem, o gigante asiático informou um salto de 14,8% nas exportações de março, outro indicador que alimentou otimismo entre investidores sobre a recuperação da economia chinesa.

Por fim, o índice sul-coreano Kospi, da bolsa de Seul, fechou em alta de 0,38%, a 2.571,49 pontos.

Leia a seguir

Leia a seguir