Mercado hoje: Ibovespa sobe e dólar fecha abaixo de R$ 5 com exterior positivo

Atividade econômica dos EUA mais fraca que o esperado movimentou o mercado hoje

O Ibovespa interrompeu, nesta quinta-feira (28), uma sequência de três quedas consecutivas na semana. O índice acionário foi puxado pelo otimismo no exterior após dados econômicos importantes dos Estados Unidos e fechou em alta de 0,6%, aos 102.923 pontos.

Já o dólar fechou em firme queda de 1,52% ante o real e terminou a sessão de hoje negociado a R$ 4,9801.

Investidores repercutem o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA no primeiro trimestre, que cresceu 1,1% ante o mesmo período no ano passado. Os dados divulgados hoje pelo Departamento de Comércio do país vieram abaixo da expectativa de crescimento de 2% de analistas consultados pelo “The Wall Street Journal”.

O PIB americano cresceu 4% no 1º trimestre de 2023. O resultado foi acima da expectativa do mercado, que era de 3,7%. No comparativo anual, o crescimento foi de 1,1%, abaixo do consenso de mercado de 1,9%.

A previsão de crescimento do PIB para 2023 está em 1,2% hoje, bem abaixo dos 5,9% registrados em 2021 e 2,1% em 2022.

Essa desaceleração econômica pode ser atribuída, em parte, às nove elevações consecutivas de juros, que saíram do intervalo de 0%-0,25% ao ano para 4,75%-5% a.a., visando controlar a alta da inflação nos últimos dois anos.

A probabilidade de recessão para os próximos 12 meses no país está hoje em 65%, de acordo com pesquisas com economistas.

“Apesar dessa situação ser preocupante, o mercado de trabalho ainda apresenta níveis historicamente baixos de desemprego, em torno de 3,5%, o que contribui para a expectativa de pelo menos mais uma elevação de juros nos EUA a ser anunciada na primeira semana de maio”, afirmou o economista Celso Pereira, diretor de investimentos da Nomad.

Inflação

Já o índice de preços de gastos com consumo (PCE) ganhou força, ao acelerar de 3,7% na leitura passada para 4,2% no primeiro trimestre deste ano.

Ao mesmo tempo, o núcleo do indicador, que exclui os preços dos voláteis itens de energia e alimentos, também anotou aceleração, ao subir 4,9% no primeiro trimestre, ante 4,4% no trimestre anterior.

“A inflação americana fechou o ano de 2022 em 6,3% e a expectativa para esse ano é de 3,9%, ambos acima da meta de 2% do FED. Para controlar a inflação, é inevitável que haja um menor crescimento da economia no país”, completou Celso Pereira.

RCN e Haddad no Senado

No Brasil, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, voltou ao Senado para falar dos juros, mas desta vez com os ministros Fernando Haddad, da Fazenda, e Simone Tebet, do Planejamento. Campos neto disse que o nível de inflação no Brasil “precisa do trabalho que está sendo feito”, isto é, com a taxa básica de juros em 13,75%.

Leia a seguir

Leia a seguir