Bombril (BOBR4) diz que não pedirá recuperação judicial

Companhia negou em comunicado estar enfrentando dificuldades financeiras

A Bombril (BOBR4) informou, em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) na noite de quarta-feira (26), que está rigorosamente em dia com suas obrigações financeiras e que, conforme Demonstrações Financeiras auditadas relativas ao ano de 2022, divulgadas ao mercado em 1 de março de 2023, houve melhora consistente de seus resultados.

Segundo a companhia, as demonstrações financeiras reportaram, entre outros indicadores, faturamento superior a R$ 2,1 bilhões (26,2% maior que 2021), Ebitda inédito de R$ 190 milhões (R$ 140 milhões maior que 2021) e reversão do prejuízo líquido de R$ 68,3 milhões em 2021 para um lucro líquido de R$ 27,5 milhões em 2022 (R$ 95,8 milhões maior que 2021), ambos excluídos os efeitos não recorrentes.

A companhia ainda esclareceu que a operação de empréstimo de R$ 300 milhões, divulgada em Fatos Relevantes em 24 e 28 de março de 2023, tem a finalidade de otimizar o perfil de financiamento e estrutura de capital de giro.

Os recursos obtidos, acrescenta a companhia, estão sendo destinados ao reperfilamento de sua estrutura de capital de terceiros, de forma a reduzir seu custo financeiro e melhorar seus índices e indicadores, com diminuição das taxas de empréstimos e financiamentos, substituindo linhas de empréstimo de curto prazo, mais onerosas, por dívidas de longo prazo, menos onerosas.

Por fim, a companhia destacou que não irá ingressar com pedido de recuperação judicial.

Leia a seguir

Leia a seguir