Bolsas da Ásia fecham mistas, após balanços dos EUA e economia do Japão e China em foco

Entre indicadores, o Japão anunciou que seu déficit comercial quase quadruplicou no ano fiscal de 2022 encerrado em março

As bolsas asiáticas fecharam mistas, enquanto o mercado se concentra na temporada de balanços de grandes empresas americanas. Além disso, preocupações com a economia da China e do Japão também estiveram no radar nas mesas de operações.

Investidores acompanharam resultados da Netflix, Tesla e Morgan Stanley. “O tom dos relatórios de lucros tem sido bastante pessimista”, disse Edward Park, diretor de investimentos da Brooks Macdonald. “Não é realmente contrariar a narrativa da recessão e, da mesma forma, não a está endossando”, afirmou.

Entre indicadores, o Japão anunciou que seu déficit comercial quase quadruplicou para um recorde de 21,73 trilhões de ienes (US$ 160 bilhões) no ano fiscal de 2022 encerrado em março.

Para a Pantheon, as perspectivas para as exportações japonesas são sombrias para o resto do ano. “As recentes crises bancárias internacionais provavelmente afetarão a criação de crédito e reduzirão a demanda global. A recuperação da reabertura da China é liderada pelos serviços ao consumidor e outros serviços, com os gastos com bens se recuperando mais lentamente. Isso limitará os benefícios indiretos para as exportações de bens japoneses, embora o turismo chinês de saída provavelmente aumente”, analisa.

O país asiático teve um superávit comercial de 6,65 trilhões de ienes com os Estados Unidos, mas um déficit recorde de 6,81 trilhões de ienes com a China, o que preocupa pelo lado do crescimento lento chinês.

Na China, as taxas de juros de referência foram mantidas inalteradas ontem: taxa prime de empréstimo (LPR) de um ano foi mantida estável em 3,65%, enquanto a LPR de cinco anos permaneceu inalterada em 4,3%. Contudo, o principal planejador econômico chinês adotou um tom mais otimista em sua última avaliação da economia nesta semana, marcando uma mudança em relação à perspectiva cautelosa anterior de Pequim e sugerindo um otimismo crescente de que o país está no caminho de uma recuperação sólida.

Tudo somado, na China continental, o Xangai composto terminou o pregão em queda de 0,10%, a 3.367.03 pontos, enquanto o Hang Seng, de Hong Kong, subiu 0,1%, a 20.396,97 pontos.

Já o índice Nikkei, referência da bolsa de Tóquio, fechou com ganho de 0,20%, a 28.657.57 pontos. Entre ações, com ganhos de ações financeiras, como Mizuho Financial Group (+1,3%). Por outro lado, o índice sul-coreano Kospi, da bolsa de Seul, fechou em queda de 0,50%, a 2.563,11 pontos.

Leia a seguir

Leia a seguir