Recuperação judicial é o caminho mais provável a ser tomado por Americanas, diz XP

Uma oferta de ações que daria conforto aos credores teria que movimentar até R$ 21 bi, montante elevado e difícil de ser estruturado, dizem analistas

O pedido de recuperação judicial parece ser o caminho mais provável que a Americanas (AMER3) vai tomar, dado o tamanho da sua dívida, número de credores envolvidos e a potencial necessidade de capital, diz a XP.

Os analistas Danniela Eiger, Gustavo Senday e Thiago Suedt escrevem que uma oferta de ações que daria conforto aos credores da Americanas teria que movimentar entre R$ 12 bilhões e R$ 21 bilhões.

Eles dizem que o montante é elevado e difícil de ser estruturado em pouco tempo, assumindo diferentes premissas de alavancagem e margem Ebitda, dada a falta de visibilidade quanto às demonstrações financeiras.

“O rebalanceamento da estrutura de capital pode ser feito através do desinvestimento de ativos, renegociação de dívidas, conversões de dívidas em ações e aumento de capital, apesar de uma dissolução da companhia também ser possível”, comentam.

A gestora nota que o processo de recuperação judicial é longo, com duração média de três anos, o que vai deixar as ações da Americanas (AMER3) pressionadas e voláteis durante o período, caso a empresa vá por esse caminho, sendo retiradas do Ibovespa.

Leia a seguir

Leia a seguir