Perfil defensivo, alta do dólar e mais: os motivos para ter ações da WEG (WEG3) na carteira agora

Na contramão do momento negativo do Ibovespa, a companhia fechou o primeiro semestre com alta acima de 15% e está entre os papéis recomendados do mercado para julho

Enquanto o Ibovespa recuou 7,6% no primeiro semestre de 2024, as ações da WEG (WEG3) avançaram 15,4% no período. E tudo indica que a fabricante de equipamentos para a indústria tem potencial de manter o ciclo de alta.

Sabe os motivos? Fomos conferir as carteiras recomendadas do mercado financeiro. Os papéis da companhia estão nos portfólios de Itaú BBA, BB Investimentos e Guide para investir em julho.

A resiliência da WEG

Então, WEGE3 figura na carteira Top Picks, da Guide, para julho. A casa destaca que a empresa tem apresentado desempenho consistente nos últimos anos.

Isso com crescimento de receita aliado à evolução do retorno sobre o capital investido.

“Tendo se mostrado resiliente aos efeitos da pandemia devido à diversificação geográfica de sua atuação e em seu portfólio de produtos”, aponta a Guide.

Alta do dólar favorece WEGE3

Logo na abertura do segundo semestre, a cotação do dólar atingiu R$ 5,65 – maior patamar desde janeiro de 2022. Essa disparada da moeda americana aparece entre as razões do BB Investimentos para incluir os papéis na Carteira de Ações Fundamentalista de julho.

“Em junho, as ações da WEG valorizaram ~+12%, contra ~+1,4% do Ibovespa, em nossa visão, beneficiada pela alta do dólar. O que deve inclusive impulsionar os resultados da companhia no segundo trimestre, dada sua alta exposição à divisa americana (~50% de sua receita)”, explica o BB-BI.

Assim, para o braço de investimentos do Banco do Brasil, os movimentos recentes de WEGE3 seguem demonstrando resiliência e descorrelação frente ao índice. O desempenho da fabricante na bolsa, conforme a casa, é bastante similar à tese de investimentos da companhia.

“Que busca uma atuação ampla e global, com foco em eficiência energética. Sua diversificação de negócios, produtos, geográfica e de moedas (receita) é fundamental para atravessar momentos de incerteza, como os de agora, com menos solavancos”, avalia o BB-BI.

Itaú BBA aposta no ciclo de valorização de WEG3

Enquanto isso, no Radar de Preferências, do Itaú BBA, as ações da WEG aparecem como opção para o investidor que mira proteger a carteira. O banco de investimentos reitera os argumentos citados acima e aposta no ciclo de valorização de WEG3

“Enxergamos a WEG como uma combinação de crescimento e rentabilidade, ao mesmo tempo em que o modelo de negócio da companhia possui um perfil defensivo. Considerando sua exposição a moedas fortes e segmentos resilientes (setor de óleo e gás, saneamento, mineração, energias renováveis etc.)”, lista o BBA.

“Olhando para frente, esperamos que a companhia mantenha a forte performance operacional em termos de rentabilidade. O que é explicado por um mix de produtos favoráveis, tendência positiva para preços dos produtos vendidos e cenário positivo em relação aos custos. O crescimento, por sua vez, deve continuar forte, mantendo-se em dois dígitos ano a ano”, completa o banco.

Leia a seguir

Leia a seguir