Empresas brasileiras com ações nos EUA podem receber US$ 4,7 bi, diz Morgan Stanley

Inclusão no índice MSCI pode gerar fluxo de US$ 4,7 bilhões para brasileiras listadas nos EUA; entenda

As ações brasileiras listadas em bolsas estrangeiras podem receber entradas de bilhões de dólares devido a uma decisão da MSCI divulgada na noite de segunda-feira (12).

MSCI é o nome da empresa norte-americana que lança os principais índices de ações em bolsas nos Estados Unidos.

Os índices do MSCI são calculados desde 1969 e diversos investidores tomam eles como referência.

O fornecedor de índices disse, em nota na segunda-feira, que as listagens estrangeiras se tornariam elegíveis para os índices MSCI Brasil a partir de agosto.

Até agora, o índice MSCI Brasil era composto de quase 50 ações nacionais e media o desempenho dos segmentos de grande e média capitalização do mercado local.

Agora, ações brasileiras listadas no exterior podem aderir ao índice.

Efeito prático

Segundo relatório dos analistas do Morgan Stanley, liderados por Nikolaj Lippmann, tal movimento poderia resultar em US$ 4,7 bilhões de entradas para Nubank, Stone, XP e PagSeguro.

As quatro empresas abriram capital nos EUA nos últimos seis anos.

A decisão “é uma virada de jogo para os mercados acionários brasileiros” e os emissores brasileiros nos EUA provavelmente desfrutarão tanto de acesso ao mercado americano quanto de influxos passivos de índices de referência, afirmam os analistas do Morgan Stanley.

Leia a seguir

Leia a seguir