Ação do Credit Suisse desaba mais de 50% para se ajustar à oferta do UBS

Negócio que une os dois maiores bancos da Suíça foi estimado em mais de US$ 3 bilhões

As ações do Credit Suisse registraram forte queda de 55,74%, a 0,82 francos suíços, na bolsa de Zurique nesta segunda-feira (20) depois do UBS fazer uma oferta pelo Credit Suisse de US$ 3,25 bilhões que precifica a ação do Credit em 0,76 franco suíço, muito abaixo do fechamento de sexta-feira do banco, de 1,86 franco suíço.

Já as ações do UBS subiram 1,26%, a 17,32 francos suíços.

A expectativa era de que as ações do Credit Suisse fossem negociadas acima do valor implícito da oferta baseada em ações do UBS mas elas estão sendo negociadas quase no preço da oferta. Segundo analistas, os motivos não são claros mas podem ser que os traders estão segurando suas ações do Credit Suisse para garantir que suas posições sejam ajustadas.

O UBS está oferecendo uma de suas próprias ações para cada 22,48 ações que os investidores detêm no Credit Suisse.

Além disso, existem temores por parte de alguns analistas de que a baixa contábil de 16 milhões de francos em títulos adicionais “tier 1” do Credit Suisse possa causar problemas. Esses títulos foram criados para assumir perdas quando as instituições enfrentam problemas e para transferir o risco de falência de um banco dos clientes para os investidores.

“Isso é controverso, uma vez que o capital ordinário – que normalmente é subordinado aos títulos ‘tier 1’ na estrutura de capital – não foi totalmente eliminado. Essa decisão pode resultar em uma reavaliação do ‘tier 1’ e de outros títulos de resgate de outros bancos. E, de fato, os os preços dos instrumentos “tier 1” de outros bancos caíram no início do pregão desta manhã”, afirmou o economista-chefe para Europa do Capital Economics, Andrew Kenningham.

Leia a seguir

Leia a seguir