Alta de 120% em 1 mês: Entenda o que está acontecendo com as ações da Recrusul (RCSL3)

Ações da Recrusul (RCSL4) lideram as altas desta sexta (14)

Figurinha bastante frequente no ranking de melhores e piores da bolsa, oscilando entre uma ponta e outra, a Recrusul tem engatado altas sucessivas no último mês e bate 120% de valorização das suas ações ordinárias (RSCL3) desde o dia 14 de março.

Com os ganhos recentes, os papéis alcançam o patamar de R$ 5,40 na tarde desta sexta-feira (14), enquanto na primeira metade de março as ações estavam cotadas abaixo de R$ 2,50.

Ações da Recrusul (RCSL4) lideram o pregão

As ações preferenciais (RCSL4) da empresa do segmento de semirreboques e tanques especializados também têm valorização importante no período. A diferença é que a maior parte dos ganhos acontece exatamente nesta sexta-feira (14), com alta de mais de 20%, liderando os ganhos na bolsa.

No último mês, os papéis preferenciais da Recrusul saltaram mais de 40%. Ainda assim, a valorização não foi suficiente para colocar as ações no patamar mínimo de R$ 1: por volta das 15h20 desta sexta, a cotação era de R$ 0,82.

Aumento de capital

No fechamento do dia 23 de março, os papéis ordinários da Recrusul estavam cotados a R$ 3,38 pouco antes da publicação do fato relevante da empresa sobre homologação do aumento de capital da empresa, que prorrogou o ato para até 9 meses a partir do comunicado, o que significou um alívio para os investidores diante da possibilidade de uma diluição do capital caso a homologação fosse aprovada.

O total de ações emitidas na proposta de aumento de capital foi definido como 216 milhões de ações, sendo 72,6 milhões de ações ordinárias e 144 milhões de ações preferenciais. Porém, nem todas as ações estão subscritas e integralizadas: 118 milhões ainda estão pendentes e dependerão da aprovação em assembleia.

Para que as demais ações sejam subscritas e integralizadas, o Conselho de Administração da Companhia deliberou por convocar uma Assembleia Geral Extraordinária da Companhia “para discutir e aprovar ou rejeitar a alteração dos termos originais do Aumento de Capital”, dando novo fôlego aos papéis na bolsa.

Leia a seguir

Leia a seguir