Ações da JBS (JBSS3) encerram em queda, Marfrig (MRFG3) e BRF (BRFS3) aprofundam perdas e Minerva (BEEF3) ensaia recuperação

Ações relacionadas à proteína animal enfrentam dias ruins na bolsa; saiba os motivos

A manutenção de um câmbio depreciado e a queda do preço da proteína animal no mercado internacional seguem pesando sobre o desempenho das ações de frigoríficos. Na quinta, BRF, Minerva e Marfrig ficaram entre as piores quedas da bolsa, e o resultado negativo se repetiu nesta sexta (14), ao menos para algumas delas.

Dessa maneira, a Marfrig (MRFG3) encerrou o pregão com forte queda novamente no último pregão da semana, com perda de 3% com relação ao fechamento anterior. Assim, seus papéis fecharam cotados a R$ 6,14. Apesar do fechamento ruim, a empresa recuperou parte das perdas do dia no final da sessão após atingir mínima de R$ 6,03 cinco minutos antes do final do pregão.

Na quinta, a Marfrig perdeu 7,04%, ficando com a terceira pior queda do pregão.

Ademais, a BRF (BRFS3) perdeu, nesta sexta, 1,91% do valor de suas ações, que fecharam valendo R$ 6,17. Assim, a mínima do dia foi da empresa foi de R$ 6,05 por volta das 12h. Na quinta, os papéis caíram 7,63%, a pior perda entre frigoríficos.

JBS entra no grupo

A JBS (JBSS3), que escapou das perdas agudas na quinta, perdeu 1,89% na bolsa nesta sexta, com suas ações valendo R$ 16,59 no final do pregão. No pior momento do dia, os papéis caíram a R$ 16,41. As ações da JBS abriram a sexta beirando os R$ 17.

Minerva sobe

Por outro lado, a Minerva (BEEF3) teve saldo positivo no pregão da sexta, com alta de 0,64%, com papéis cotados a R$ 9,46. Na máxima, próximo das 16h, os papéis chegaram a valer R$ 9,53. Na quinta, porém, a companhia tinha registrado queda de 6,46%.

Leia a seguir

Leia a seguir