Consumidor lesado pela 123milhas deve registrar reclamação de novo, alerta Procon-SP

Credor deve se habilitar no processo de recuperação judicial da empresa para tentar reaver prejuízo

O Procon-SP fez um novo alerta sobre a 123milhas. Os consumidores que tiveram prejuízos com a empresa devem registrar novamente as reclamações no site da recuperação judicial da 123milhas. Assim, eles terão maior chance de receber a indenização. O endereço do site para os consumidores lesados enviarem sua documentação é https://administracaojudicial.kpmg.com.br/habilitacao. Este site vem passando por instabilidades, então, convém ter paciência na hora de acessa-lo.

Pelo site, o consumidor pode confirmar os dados pessoais por arquivos digitais de documento (CNH, RG). Assim, é possível se habilitar e solicitar qualquer reembolso devido, como credor no processo de recuperação judicial da 123milhas, informa o Procon.

O site receberá documentos e informações que comprovem as contratações feitas pelos consumidores, como e-mail de comprovação de pagamento, contrato e e-mail da 123milhas confirmando o pacote de viagem.

De acordo com o Procon-SP, independentemente de o consumidor ter procurado os órgãos de defesa do consumidor e registrado a reclamação, é necessário que a vítima também registre seus dados e envie a documentação pertinente no site. Dessa forma, a vítima irá constar como credora na Recuperação Judicial da 123milhas.

A entidade afirma que vai enviar comunicado direto a todos os aproximadamente 9 mil consumidores que registraram reclamações em sua plataforma.

O órgão paulista de defesa do consumidor também alerta para que os consumidores nesta situação registrem seus casos no novo site o mais breve possível. Isso porque o prazo pode terminar sem aviso prévio e a qualquer momento, a depender do andamento do processo de recuperação.

O que aconteceu com a 123milhas?

Tudo começou em agosto de 2023. A 123milhas informou que iria suspender a comercialização de pacotes e emissão de passagens das viagens com datas flexíveis. Os serviços tinham embarques previstos entre setembro e dezembro do ano passado.

A empresa entrou com processo de recuperação judicial, acatado pela Justiça.

Segundo a decisão, a lista de credores ultrapassa 700 mil pessoas em um cálculo inicial.

Leia a seguir

Leia a seguir