Tesouro oscila, tecnologia e varejo caem, transações em criptos

No Manhã Inteligente desta quarta (27), Isabella Carvalho e Victor Vietti falam sobre a alta do IPCA, a queda das ações de empresas varejistas e de tecnologia e de outros assuntos que afetam seus investimentos

O Manhã Inteligente desta quarta (27) fala sobre as oscilações nos preços de títulos do Tesouro, as criptomoedas sendo aceitas aqui para comprar apartamento popular, e a forte queda nos preços das empresas de tecnologia e varejo negociadas na B3 ontem (26).

Inflação de abril é a maior para o mês desde 1995

As taxas dos títulos públicos operaram em queda ontem com investidores aguardando a divulgação do IPCA-15 pelo IBGE. O dado, que saiu pela manhã, foi de 1,73% em abril – a maior taxa para o mês desde 1995. E na semana que vem tem reunião do Copom para definir a nova taxa Selic, o que também mexe com os ânimos do mercado.

Ontem, perto do meio-dia, o Tesouro Prefixado com vencimento em 2025 oferecia a mesma taxa do papel com prazo para 2029, de 12,06%. O valor é abaixo do que foi registrado no fechamento de segunda-feira. No mesmo ritmo também operavam os títulos atrelados à inflação. O Tesouro IPCA+ 2026 oferecia, no mesmo horário, juros real de 5,32%, abaixo dos 5,39% da segunda-feira.

Venda de imóveis com criptomoedas

A gente sabe que os ativos digitais estão se tornando cada vez mais conhecidos e usados nos mais diversos estabelecimentos. Pensando nisso, uma incorporadora brasileira começou a vender imóveis com pagamento em criptomoedas.

A Lumy, que é focada em empreendimentos imobiliários de baixo custo, passou a aceitar o pagamento em bitcoin e ether para apartamentos em São Paulo. A empresa também avalia a possibilidade de adotar outras moedas como forma de pagamento.

Em entrevista ao Valor Investe, o presidente da empresa, Vitor Santo, disse que esse é um passo importante, pois é uma nova forma de negociar apartamentos e não se limitar, apenas, ao dinheiro nacional. É difícil saber se esse novo meio de pagamento terá adeptos, mas demonstra como as criptomoedas estão ganhando mais espaço aqui no Brasil. Na IF, temos um guia com muitos conteúdos sobre o tema.

Varejo e tecnologia caem na Bolsa

As companhias de tecnologia e varejistas sofreram no pregão de ontem. As ações ordinárias da Locaweb recuaram 8,32%, enquanto as da Totvs caíram 6,5%. Magazine Luiza recuou 4,78%, e Via caiu 4,7%. As ações de tecnologia foram impactadas, principalmente, pela perspectiva de aumento dos juros por aqui, pela alta do petróleo e também do dólar. Já o varejo também sofreu impacto depois do Santander divulgar o balanço de resultados, destacando um aumento da inadimplência.


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 11h27
Ibovespa sobe com ajuda de Vale e siderúrgicas

Mercado acionário doméstico resiste a nova abertura negativa em NY

Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 10h53
Como o trabalhador poderá usar o FGTS para comprar ações da Eletrobras

Tipo de investimento já foi feito anteriormente em vendas de ações da Petrobras e da Vale

Manhã Inteligente Publicado em 19.maio.2022 às 10h26
Guerra na Ucrânia, queda das ações da Amazon, Madonna e NFTs

Isabella Carvalho e Ítalo Martinelli falam sobre os assuntos que podem afetar seus investimentos nesta quinta (19)

Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 09h39
Bolsas europeias caem mais de 2% e futuros de NY sinalizam continuidade das perdas

Clima de cautela prevalece nos negócios em meio às preocupações com o impacto da inflação elevada no crescimento econômico global

Valor Econômico Atualizado em 19.maio.2022 às 08h39
Cenário global desperta interesse por Brasil, diz executivo da bolsa de Nova York

Chefe de mercados internacionais da bolsa de Nova York aponta que ADRs brasileiros são um dos ativos mais líquidos no mercado americano atualmente

Valor Econômico Publicado em 19.maio.2022 às 06h12
Grandes investidores ampliam dinheiro em caixa para maior patamar desde atentados de 11 de setembro

Preferência por dinheiro vivo coincide com enfraquecimento significativo das expectativas quanto aos lucros das empresas

Valor Econômico Publicado em 19.maio.2022 às 06h03
Nos EUA, esta pode ser uma década perdida para ações

Aumento de custos e aperto monetário devem pressionar margens de empresas dos EUA