Tesouro Direto em alta, corte nas tarifas de alimentos, Nubank compra criptomoedas

Isabella Carvalho e Caio Camargo falam sobre os assuntos que vão afetar seus investimentos hoje

No Manhã Inteligente desta quinta (12), Isabella Carvalho e Caio Camargo comentam os seguintes assuntos: a alta dos títulos do Tesouro Direto, o corte das tarifas de importação de alguns alimentos e a compra de criptomoedas pelo Nubank.

Títulos do Tesouro Direto em alta

As taxas dos títulos voltaram a subir depois da divulgação dos dados de inflação aqui no Brasil. O Tesouro Prefixado 2025 operou em alta ontem, pagando 12,52% ao ano, contra 12,43% na terça-feira. Outro título que também registrou alta foi o Tesouro IPCA+ 2026, que é atrelado à inflação. Ele saiu de 5,53% para 5,6% ao ano. Lembrando que entre março de 2021 e março deste ano, o número de investidores do Tesouro Direto chegou a 17,9 milhões, um aumento de 73,9% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Governo corta tarifas de dez itens

No Manhã Inteligente de ontem a gente comentou sobre a intenção do governo federal zerar as tarifas de importação do aço e outros dez itens, com o objetivo de frear a inflação. Ontem mesmo a medida foi anunciada pelo secretário executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys.

Carne de boi, de frango, trigo e farinha de trigo, milho em grão, bolachas, biscoitos e outros produtos de padaria tiveram a tarifa de importação zeradas. Também foram reduzidas as alíquotas para duas categorias de aço.

Nubank vai investir em criptomoedas

O Nubank anunciou que vai alocar, aproximadamente, 1% do seu caixa em bitcoins. Segundo o banco, esse movimento reforça a convicção da empresa no potencial atual e futuro da moeda para a disrupção dos serviços financeiros.

Fazendo uma continha básica, esse valor deve ser alto. No fim de dezembro, o caixa e equivalentes da Nu Holdings era de US$ 2,7 bilhões. Ou seja, 1% disso seria cerca de US$ 27 milhões, ou R$ 138 milhões no câmbio atual. David Vélez, CEO e fundador da fintech, disse em um comunicado que não existem dúvidas de que as criptomoedas são uma tendência crescente na América Latina.

Enquanto isso, o bitcoin não para de cair. No final do dia de ontem, a moeda desvalorizou 6,76%, valendo US$ 29.541, com investidores atentos à inflação dos Estados Unidos.


Investir em quê? Encontre e compare investimentos de todo o mercado

Parceiro da Inteligência Financeira, o Investir em Quê? é sua fonte confiável para buscar onde investir com isenção, transparência e sem complicação

Você também pode gostar
Diogo Rodriguez Atualizado em 23.maio.2022 às 16h52 Duração 1 min.
O que é uma fintech? O que ela faz?

Qual é a diferença das fintechs para os bancos tradicionais? Saiba mais no Me Explica na IF

Redação IF Publicado em 23.maio.2022 às 09h16
Macy’s pode oferecer pistas sobre força dos gastos do consumidor nos EUA

Investidores monitoram pistas sobre o comportamento da inflação no país

Leonardo Guimarães Atualizado em 21.maio.2022 às 07h28
Quando o preço do bitcoin vai subir?

Enquanto uns se preocupam com a queda, outros enxergam uma oportunidade

Redação IF Atualizado em 20.maio.2022 às 18h53
Bitcoin volta a ser negociado abaixo de US$ 30 mil e investidores se preparam para o pior

O preço do bitcoin recuou mais de 3% nas últimas 24 horas, mas ainda está acima da mínima de US$ 26 mil alcançada no “crash” da semana passada

JOTA Atualizado em 21.maio.2022 às 07h47
Análise: Como mitigar os efeitos da inflação no seu bolso?

Correção dos rendimentos pela inflação os leva à faixa superior da tabela progressiva do IR