Quais são os investimentos de renda fixa?

Tesouro Direto, CDB, LCI, LCA, debêntures, fundos de renda fixa. Cauê Fabiano explica o que levar em consideração ao investir em renda fixa

Em se tratando de renda fixa, analisar o que o mercado financeiro te oferece e escolher os produtos que mais têm a ver com seu perfil, seus sonhos, sua pressa e até mesmo quais são os riscos do papel. E aí você encontra uma gama de produtos financeiros, como Tesouro Direto, CDB, LCI, LCA, debêntures, fundos. O pulo do gato é diversificar, ainda que com títulos de uma mesma classe de ativos.

Renda fixa não é sinônimo de lucro constante

Aliás, Martin Iglesias, professor e especialista líder em investimentos e alocação de ativos do Itaú Unibanco, reforça a questão dos riscos dessa classe de ativos com uma frase impactante: “O nome ‘renda fixa’ não é uma promessa de rentabilidade constante”, afirma. Um exemplo são os ETFs, que funcionam como um fundo de investimento, no qual os investidores compram cotas e as decisões de alocação dos recursos ficam por conta de um gestor. Nesse caso, o investimento é feito em ativos de renda fixa e segue índices como o IPCA (índice da inflação) ou o IMA (Índice de Mercado Anbima).

O que é a marcação a mercado?

Ainda nesse universo, você precisa conhecer uma ferramenta muito importante chamada marcação a mercado. Ela nada mais é do que um ajuste diário nos preços dos ativos. É pela marcação a mercado que você sabe o preço que você receberia, caso vendesse o seu ativo hoje. Ela surgiu 2002 e foi criada pela CVM, e pode alterar os valores para cima ou para baixo. Esse tipo de correção é mais comum em títulos de renda fixa.

A cilada da caderneta de poupança

Agora, cuidado. Com a alta dos juros, a caderneta de poupança ganhou uma trava que a tornou ainda pior do que antes. Isso porque após o aumento da Selic, a poupança passou a render 6,17% ao ano. Com a Selic acima de 8,5% ao ano, a poupança tem uma regra diferente de rentabilidade. Com a inflação passando de 10% ao ano, seu poder de compra fica comprometido.

Em resumo: o cenário mudou no Brasil e, se você não tiver estômago para a alta volatilidade que promete vir, a renda fixa voltou a ser um bom negócio. Seguindo as regras que ela impõe, você pode ter noites de sono mais tranquilas.

Investir em quê? Encontre e compare investimentos de todo o mercado

Parceiro da Inteligência Financeira, o Investir em Quê? é sua fonte confiável para buscar onde investir com isenção, transparência e sem complicação


Você também pode gostar
Globo News Publicado em 29.jun.2022 às 12h00
2022 é o ano da renda fixa?

Com a alta da inflação e dos juros, a renda fixa tem se tornado atraente. Cauê Fabiano explica se é o momento de migrar para esses ativos

Redação IF Publicado em 28.jun.2022 às 07h49
Propostas de Bolsonaro ajudam a piorar percepção de risco do país e afastam investidores

Projetos como os subsídios para combustíveis e reajuste do Auxílio Brasil aumentam incertezas sobre as contas públicas no longo prazo elevam risco-país e desvalorizam ações e real

Redação IF Publicado em 27.jun.2022 às 08h44
IF Hoje: Indicadores da atividade econômica nos EUA são destaque

No Brasil, atenções estão no risco fiscal e na mudança de gestão na Petrobras

Redação IF Atualizado em 02.jul.2022 às 08h05
Recebeu a restituição do IR? Veja as melhores opções para investir seu dinheiro

Com juros altos, especialistas recomendam aplicações de renda fixa prefixada no curto prazo

Redação IF Atualizado em 23.jun.2022 às 16h27
Carteira recomendada Itaú: sai Banco do Brasil entra Bradesco

Banco faz parte das recomendações de duas carteiras: Top 5 e a de Dividendos

José Eduardo Costa Atualizado em 27.jun.2022 às 08h30
Com ações em baixa, mercado oferece debêntures. Aqui, o que você precisa saber antes de investir nelas

Nunca ouviu falar em debêntures? Emissões saltaram 35% nos primeiros cinco meses do ano em relação ao mesmo período de 2021