Papo de Finanças: o que fazer com seu investimentos em momentos de crise?

Maju Marques e Nina Silva debatem qual o melhor caminho para olhar para sua carteira em momentos de instabilidade

Hoje, o Papo de Finanças vai ser sério, vamos abordar a Guerra entre Rússia e Ucrânia. Nina Silva e Maju Marques falam sobre como situações de conflito afetam o mercado. Diversos países retaliaram a Rússia pela invasão da Ucrânia com sanções econômicas. Então, fica clara a necessidade de debater a economia e os investimentos em cenários de crise.

Em 24 de fevereiro de 2022, a gente assistiu em choque o início da invasão de tropas da Rússia em Kiev, capital da Ucrânia. A questão é geopolítica, já que a Ucrânia fica entre a Rússia e a União Europeia. O presidente russo, Vladimir Putin, parece acreditar que, ao dominar o território ucraniano, pode impedir o avanço de forças militares ocidentais em direção à Rússia.

É uma tensão, uma tristeza, um desespero para os civis e até militares que foram envolvidos pelo contexto. Mas, infelizmente, conflitos de grande impacto acontecem com certa frequência na história e, ao devastar as nações, também impactam diretamente a economia. O mundo sentiu o baque da crise no mesmo dia em que a guerra começou. O preço do barril do petróleo passou dos US$ 100 pela primeira vez em oito anos, e bolsas de valores de diversos países despencaram.

Aqui no Brasil, a gente já imaginava 2022 cheio de volatilidade por ser ano de eleição presidencial. Além da alta da inflação e dos juros. Portanto, tivemos que somar nessa conta as incertezas das ações militares russas. Isso sem falar da alta de juros que está rolando nos Estados Unidos.

É recomendável mexer nos investimentos durante uma crise?

A gente costuma se desesperar com as oscilações do mercado, mas é a hora de mexer nos investimentos? Nos momentos de crise a gente não consegue prever os próximos acontecimentos, os impactos. Então, é a hora de prender a respiração e aguentar firme. A maioria dos especialistas recomendam que você não mexa na carteira, justamente por ficar difícil fazer uma avaliação sóbria sobre as oportunidades, já que os preços ficam voláteis. Nada no mundo das finanças a gente decide por impulso, tem que estudar para não se precipitar.

Por isso, precisamos sempre pensar em diversificação. Na live que a IF fez logo no início da guerra, o Martin Iglesias, especialista em investimentos e alocação do Itaú Unibanco, explicou: se você tem sua carteira com ativos distintos, você corre menos risco.

Muita gente acha que diversificar os investimentos é ser medroso, mas não é nada disso, diversificar é o jeito mais inteligente de assumir riscos! Você coloca parcelas do seu dinheiro em vários ativos diferentes e tem mais chances de não se dar mal caso um deles caia muito na crise.

Quer saber mais sobre o que fazer com seus investimentos em momentos de tensão e crise? Veja o Papo de Finanças!


Você também pode gostar
Redação IF Atualizado em 30.jun.2022 às 19h10
S&P 500 registra pior primeiro semestre desde 1970, Nasdaq cai quase 30% no semestre

O índice Nasdaq, que reúne empresas não financeiras e as de tecnologia, caiu mais de 20% nos últimos três meses, seu pior desempenho desde 2008

Redação IF Publicado em 30.jun.2022 às 15h17
Dólar apaga ganhos e fica abaixo dos R$ 5,20

Moeda americana chegou a R$ 5,27 na máxima do dia

Redação IF Publicado em 30.jun.2022 às 10h21