Hora da renda fixa? Como proteger seus investimentos da alta da inflação

Nina Silva explica por que em um momento de alta da inflação tem sido a hora da renda fixa brilhar

Não tem como fugir, a alta dos preços não sai das manchetes e da cabeça dos investidores. Esse aumento da inflação tem criado espaço para renda fixa brilhar e sua ascensão é a história deste Papo de Finanças. A renda variável costuma ser a menina dos olhos de quem gosta de buscar uma maior rentabilidade, mas tem momento para todo mundo aparecer e Nina Silva conta por que tem sido a hora da renda fixa.

Começamos pela notícia do dia 8 de abril, quando o IBGE divulgou o IPCA relativo a março e mostrou que a inflação avançou de 1,01% em fevereiro para 1,62% no mês seguinte, sendo o maior índice para março desde 1994! São vinte e sete anos, gente. Foi antes da implantação do Plano Real!

Enfim, o mercado foi pego de surpresa, já que a expectativa era de que a inflação ficasse em 1,28% na comparação mensal. Até o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse ter se assustado com o número.

No dia 12, saiu ainda que a inflação anual em março nos EUA atingiu 8,5%. O maior patamar desde 1981. Depois disso, tivemos umas semanas para digerir o baque e ficou claro que se, por um lado, todos perdemos poder de compra, por outro, o índice mais alto deve fazer o mercado projetar juros maiores pros próximos meses. E é aqui que a renda fixa é beneficiada.

Em maio, o IPCA foi de 0,47%, menor do que a expectativa de 0,59%. No ano, até o mês passado, o IPCA acumula alta de 4,78%, e, nos últimos 12 meses, de 11,73%. Pedro Kislanov, gerente do IPCA no IBGE, explicou que “a alta deve-se a dois fatores: elevação dos custos devido ao aumento nos preços dos combustíveis; e pressão de demanda, com o aumento do consumo, após um período de demanda reprimida por serviços, especialmente aqueles prestados às famílias. Isso impacta, também, alimentação fora do domicílio e itens de cuidados pessoais.”

Inflação alta faz a renda fixa vinculada ao IPCA brilhar

Com a inflação alta, o grande investimento do momento é estudar sobre renda fixa e títulos públicos ligados ao IPCA, o nosso índice da inflação. As atenções se voltam para renda fixa na alta inflacionária porque, como o nome dos papéis dá a dica, existem opções de investimentos com parte da rentabilidade ligada a inflação.

Então, você mantém o valor do seu dinheiro, não perde o poder de compra e ainda um pouco. Nessas condições, o seu patrimônio fica automaticamente protegido da desvalorização da moeda.

Saiba mais sobre renda fixa vinculada ao IPCA no Papo de Finanças!

Investir em quê? Encontre e compare investimentos de todo o mercado

Parceiro da Inteligência Financeira, o Investir em Quê? é sua fonte confiável para buscar onde investir com isenção, transparência e sem complicação


Você também pode gostar
Globo News Publicado em 29.jun.2022 às 12h00
2022 é o ano da renda fixa?

Com a alta da inflação e dos juros, a renda fixa tem se tornado atraente. Cauê Fabiano explica se é o momento de migrar para esses ativos

Redação IF Publicado em 28.jun.2022 às 07h49
Propostas de Bolsonaro ajudam a piorar percepção de risco do país e afastam investidores

Projetos como os subsídios para combustíveis e reajuste do Auxílio Brasil aumentam incertezas sobre as contas públicas no longo prazo elevam risco-país e desvalorizam ações e real

Redação IF Publicado em 27.jun.2022 às 08h44
IF Hoje: Indicadores da atividade econômica nos EUA são destaque

No Brasil, atenções estão no risco fiscal e na mudança de gestão na Petrobras

Redação IF Atualizado em 02.jul.2022 às 08h05
Recebeu a restituição do IR? Veja as melhores opções para investir seu dinheiro

Com juros altos, especialistas recomendam aplicações de renda fixa prefixada no curto prazo

José Eduardo Costa Atualizado em 27.jun.2022 às 08h30
Com ações em baixa, mercado oferece debêntures. Aqui, o que você precisa saber antes de investir nelas

Nunca ouviu falar em debêntures? Emissões saltaram 35% nos primeiros cinco meses do ano em relação ao mesmo período de 2021