Como evitar os riscos da renda fixa e escolher bons investimentos

Você sabe avaliar quando uma aplicação em renda fixa é boa ou apresenta riscos? Rafael Panonko, o convidado Entrevista da Semana, explica.

Os brasileiros e brasileiras voltaram a se interessar mais por renda fixa após as elevações da taxa básica de juros, a Selic, pelo Banco Central. Mas você sabe avaliar quando uma aplicação em renda fixa é boa ou apresenta riscos? É isso que você vai descobrir com o nosso convidado desta edição do Entrevista da Semana.

Economista com graduação em Gestão Financeira, Rafael Panonko é analista-chefe da Toro Investimentos. Tem mais de uma década de experiência no mercado financeiro e é palestrante e professor em cursos sobre investimentos.

Renda fixa, conforme ele explica, “é aquele título onde a pessoa busca investir já garantindo uma renda”. “O principal”, explica Panonko, é que nesse tipo de ativo, o investidor busca “minimizar as chances de risco”. Dentro dessa categoria estão o Tesouro Direto, CDB, LCI, debêntures, fundos de renda fixa, entre outros. “A pessoa física olha para esses títulos e o objetivo dela é não perder dinheiro.” A renda variável, claro, é diferente. Ela inclui o mercado de ações, fundos imobiliários e outros. Aqui, existe o risco de perda.

Escolha um bom título de renda fixa (e evite os riscos)

Como o investidor sabe se um ativo de renda fixa é bom para ele? “Não há uma fórmula para isso”, alerta o economista. “Renda fixa não é só olhar para a taxa do título, muitas pessoas acabam cometendo esse erro”, diz. É preciso prestar atenção também ao prazo e à classificação de riscos. “Algumas rendas fixas pagam taxas melhores, porém têm algum tipo de risco envolvido, como debêntures, fundos de crédito privados, que são diferentes de títulos do Tesouro e de CDBs de grandes instituições financeiras.” É necessário, afirma Panonko, olhar o cenário como um todo e aliar isso aos seus objetivos.

Quer saber mais sobre renda fixa e como minimizar os riscos na hora de investir? Veja a entrevista com Rafael Panonko.

Sobre o Entrevista da Semana

O programa Entrevista da Semana é uma série semanal de entrevistas em que a gente traz especialistas super selecionados para darem dicas para você lidar com o seu bolso da melhor maneira possível. Quem comanda os bate-papos é Anne Dias, editora da Inteligência Financeira. Ele vai ao ar todas às quartas no YouTube e site da IF.

Assista a todas as entrevistas já publicadas.


Investir em quê? Encontre e compare investimentos de todo o mercado

Parceiro da Inteligência Financeira, o Investir em Quê? é sua fonte confiável para buscar onde investir com isenção, transparência e sem complicação

Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 11h12
Ibovespa opera em queda, enquanto Petrobras busca recuperação

Investidores aguardam a divulgação da ata da última reunião do Fed

Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 09h54
Dólar sobe acompanhando exterior e juros futuros estendem alta da véspera

Divisa americana ganhava força no pregão desta quarta ante moedas de países emergentes

Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 08h55
Inflação: pequenas mudanças driblam a disparada dos preços

Com regras simples, você vai tomar as melhores decisões para o seu bolso

Glossário IF Publicado em 24.maio.2022 às 17h24
B3: como surgiu, qual é sua história, o que ela faz?

A Bolsa de Valores brasileira é uma das dez maiores do mundo e a maior da América Latina. Saiba mais no Glossário IF

Redação IF Atualizado em 25.maio.2022 às 08h00
Nubank renova mínimas históricas e já vale menos que o BTG. Efeito colateral do fim do lock-up?

Valor de mercado do Nubank corresponde a menos de um terço do Itaú, que vale US$ 48,8 bilhões; no IPO em dezembro, o Nubank estreou com valor de US$ 41,5 bilhões

Redação IF Publicado em 24.maio.2022 às 11h20
Dólar inverte sinal e passa a cair abaixo de R$ 4,80

Moeda americana era negociada a R$ 4,78 na mínima do dia

Redação IF Publicado em 24.maio.2022 às 10h23
Presidente do Bradesco diz que inflação deve começar a ficar ‘mais controlada’ a partir de 2023

Octavio de Lazari Junior acredita também que a taxa de juros 'só poderá ser reduzida no ano que vem'

Redação IF Publicado em 24.maio.2022 às 07h56
Citi: nova troca cria riscos na estratégia de longo prazo da Petrobras

Banco destaca em relatório uma 'significativa interferência externa' na empresa