Inflação, pandemia e renda fixa: Nina Silva faz a retrospectiva 2021

O Papo de Finanças destaca três pontos importantes dos últimos 12 meses e como eles afetam as perspectivas para 2022

O ano que está terminando foi muito desafiador de várias formas. Não só pela economia, mas tivemos uma pandemia também. Foi muita informação para digerir. No último Papo de Finanças do ano, Nina Silva destaca três pontos importantes na retrospectiva 2021 para discutir as perspectivas para 2022.

Se 2021 fosse um livro, o primeiro capítulo da nossa retrospectiva seria: “Apertem os cintos, a inflação subiu”! Ela veio, e parece que não quer ir embora. Nesse ano, ficamos assistindo o gráfico da inflação subir, e o sentimento de que “o nosso dinheiro não está valendo nada no mercado” aumentar. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) começou subindo 0,25% em janeiro de 2021, em comparação com dezembro de 2020, acumulando uma alta de 4,56% nos últimos 12 meses.

2021, o ano da inflação

Sabe como fechamos o ano? Com a notícia de que o Banco Central aumentou de 8,5% para 10,2% a estimativa de inflação para o ano de 2021. Achou assustador? Saiba que é a primeira vez desde 2015 que a inflação ficará acima de 10%! É para frear a economia mesmo. Estamos em um cenário econômico instável, a alta da inflação está a todo vapor. Por isso, é hora de poupar. Nina Silva explica que investimentos ela recomenda em um cenário como o que vivemos.

O segundo capítulo da nossa história é a pandemia. Ela mexeu muito com o mercado financeiro e com o seu bolso. Inicialmente, o isolamento fez as Bolsas de Valores darem um nó! Era muita incerteza, muito risco, pessoas morrendo, hospitais lotando, governos sem medidas efetivas para solução. E ela continua tendo esse poder. A variante ômicron apareceu e com os primeiros casos registrados as bolsas já sentiram o baque. Ações de empresas de turismo, por exemplo, no mesmo instante tiveram queda.

Quer saber mais sobre o ano que termina? Veja o vídeo e acompanhe a retrospectiva 2021 de Nina Silva no Papo de Finanças!


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 08h09
Fundos de ações de Petrobras e Vale renderam até 25 vezes mais que o FGTS desde o lançamento

Trabalhador poderá usar dinheiro do fundo de garantia para comprar ações da Eletrobras

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 07h26
Elon Musk se reúne nesta sexta-feira com Bolsonaro e empresários

Segundo ministro das Comunicações Fábio Faria, objetivo é discutir conectividade e proteção da Amazônia com o governo brasileiro

íon Itaú Atualizado em 20.maio.2022 às 07h15
O que explica o bom desempenho dos fundos multimercados desde o início de 2022?

Mesmo com o cenário de alta volatilidade e incerteza na economia global, o primeiro quadrimestre registrou o melhor início de ano para esta classe desde 2009

Glossário IF Publicado em 19.maio.2022 às 17h57 Duração 3 min.
O que é a Anbima?

Essa organização representa bancos, gestoras, corretoras, distribuidoras e administradoras

Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 17h39
Juros futuros fecham em forte queda, com expectativas de inflação no foco

Mercado vê que a inflação pode ser impactada por possível alíquota máxima de 17% do ICMS cobrado sobre energia, telecomunicações, combustíveis e energia

Anne Dias Publicado em 19.maio.2022 às 16h31
Dica do especialista: conheça os bastidores do nascimento do Plano Real

Muito do que vivemos hoje nasceu naquele período, mostra o livro Saga brasileira, de Miriam Leitão

Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 18h15
Trabalhador poderá usar até 50% do saldo do FGTS na privatização da Eletrobras

Valor mínimo do investimento é de R$ 200. Governo estabeleceu R$ 6 bilhões como teto global para uso do Fundo, o que pode reduzir percentual que cada trabalhador poderá investir