O que são blockchains e qual é sua relação com criptomoedas

Blockchain é um sistema que registra e rastreia transações de ativos tangíveis, como bens materiais, ou intangíveis, como patentes, direitos autorais, transferências e outros. Entenda como funciona esse sistema.

Você já deve ter ouvido falar do bitcoin e criptomoedas, mas sabe o que são os blockchains? O que isso tem a ver com esses ativos digitais? É isso que o vídeo do Glossário IF vai explicar.

Blockchain é um sistema que faz duas coisas importantes: registra e rastreia transações de ativos, tudo de maneira online. Esses ativos podem ser tangíveis, como bens materiais, ou intangíveis, como patentes, direitos autorais, transferências e outros documentos.

Imagine que a rede do blockchain seja como um grande “Lego” com blocos interligados. Quando uma transação acontece, ela fica registrada –seja uma transferência de criptomoeda ou o registro de uma patente – e se transforma em uma pequena peça deste “Lego”.

Em seguida, computadores espalhados pelo mundo verificam a transação e analisam se ela é ou não legítima. Uma vez que o sistema aprova a transação, essa pequena peça se junta a outras peças (transações que também verificadas anteriormente), formando um bloco. 

Como funcionam e o que são os blockchains

A partir desse momento, o bloco recebe um código único e se junta a outros blocos como ele, formando o “Lego maior” (uma espécie de “corrente”). É isso o que os blockchains são. Esse código é criado justamente a partir do código do bloco anterior.

Ou seja, mudar um único código da rede significaria alterar todos os outros interligados – o que torna tudo muito seguro. Todas as informações passam por criptografia. Dessa forma, qualquer um pode acessar a rede e ver o conjunto todo, mas não consegue saber detalhes das transações – apenas enxergam que aconteceram. Essa é uma das principais vantagens do sistema.

Quer saber mais sobre o que são os blockchains e como eles funcionam? Veja o vídeo do Glossário da Inteligência Financeira, entenda como funciona esse sistema, o que ele tem a ver com criptomoedas e como ele pode aparecer na sua rotina.


Você também pode gostar

Isabella Carvalho

Publicado em 06.dez.2021 às 12h53

Cinco perguntas e respostas sobre criptomoedas

Pensando em ganhar dinheiro rápido com as moedas digitais? Pois antes disso, você deve considerar riscos, custos e a alta volatilidade desses ativos

Redação IF

Publicado em 03.dez.2021 às 18h10

Dólar fecha em alta de 0,42%, a R$ 5,68, de olho em dados dos EUA

Com a alta de hoje, o real acumulou valorização de 1,56% na semana. No mês, passa a ter ganho de 0,80%.

Redação IF

Publicado em 02.dez.2021 às 18h07

Dólar fecha em queda de olho na aprovação da PEC dos Precatórios e PIB

Nesta quinta-feira, moeda norte-americana recuou 0,21%, cotada a R$ 5,6585; alta acumulada é de 1,14% na semana e de 9,09% no ano

Redação IF

Atualizado em 01.dez.2021 às 18h12

Dólar fecha em alta de olho no Fed e PEC dos Precatórios

No exterior, crescem as apostas de uma redução mais acelerada de estímulos nos Estados Unidos, mesmo num momento em que crescem temores sobre a variante ômicron do coronavírus

Valor Econômico

Publicado em 01.dez.2021 às 17h16

Dólar comercial passa a subir após Powell reiterar tom sobre redução de estímulos

Ativos de risco na cena externa davam sinais de recuperação nesta jornada

Leonardo Guimarães

Atualizado em 03.dez.2021 às 07h22

Conheça quatro investimentos para você se proteger do real fraco

Ações de empresas que têm parte da receita em dólar, BDRs, ETFs e ativos de renda fixa atrelados à inflação são boas alternativas

Isabella Carvalho

Publicado em 01.dez.2021 às 14h35

Número de brasileiros que investem em criptomoedas cresce durante a pandemia

Pesquisa mostra que metade dos investidores em criptomoedas no Brasil passou a comprar e vender os ativos há apenas um ano

Redação IF

Atualizado em 30.nov.2021 às 20h00

Dólar fecha em alta após declarações do chefe do banco central dos Estados Unidos

Nesta terça-feira (30), a moeda norte-americana subiu 0,48%, a R$ 5,6372. Em novembro, acumulou leve recuo de 0,18%.