Deputados articulam mudanças na PEC dos Precatórios, que será votada hoje

Movimento preocupa a equipe econômica, que teme não haver tempo suficiente para abrir espaço no Orçamento de 2022

Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). (Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)

Em Brasília, os deputados querem modificar o texto da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que adia o pagamento de precatórios, decisões judiciais contra a União.

O movimento preocupa a equipe econômica, que teme não haver tempo suficiente para abrir espaço no Orçamento de 2022. A PEC é considerada fundamental para bancar o Auxílio Brasil de R$ 400.

Caso haja alterações, a proposta terá que ser apreciada novamente pelo Senado, mas as chamadas partes consensuais podem entrar em vigor.

Ou seja, o que for aprovado na Câmara com o mesmo teor do texto do Senado, pode ser promulgado. A expectativa é que a PEC seja votada pela Câmara nesta terça-feira (14).

O mercado também acompanha de perto hoje o início da reunião do Copom (Comitê de Política Monetária do BC), que divulga amanhã a ata da sua última reunião, na última quarta (8), quando decidiu elevar a taxa básica Selic em 1,5 ponto percentual, para 9,5% ao ano.

O comunicado emitido ao final dizia que “é apropriado que o ciclo de aperto avance significativamente em território contracionista” e adiantava que mais uma elevação de 1,5 ponto percentual em sua próxima reunião, em 1o. e 2 de fevereiro, já está prevista. No mesmo comunicado, o Copom afirmou ainda que, embora sua prioridade seja o controle da inflação, suas medidas devem atenuar as flutuações do nível de atividade econômica.

Confira a agenda da semana completa

Terça-feira

S/h: A Câmara dos Deputados vota novamente a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) dos precatórios, depois dos ajustes feitos pelo Senado
8h: Ata do Copom
9h: Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), do IBGE

Quarta-feira

9h: IBC-Br, do BC
10h30: EUA – Vendas do varejo
16h: Comitê de política monetária do Fed (Federal Reserve, o BC americano) divulga sua decisão sobre os juros do país após dois dias de reunião
16h30: EUA – Discurso de Jeremy Powell, presidente do Fed (Federal Reserve, o banco central americano)

Quinta-feira

8h: Relatório trimestral de inflação, do BC

Sexta-feira

8h: IGP-M, da FGV (2a. prévia de dezembro)
S/h: Sondagem da indústria da construção civil, da CNI (Confederação Nacional da Indústria)


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 17.maio.2022 às 07h26
Freio na economia chinesa deve fazer Brasil crescer menos

Analistas projetam expansão menor em 2023 e inflação global maior, também devido à guerra na Ucrânia e à alta de juros nos EUA

Valor Econômico Atualizado em 16.maio.2022 às 20h10
Magazine Luiza reverte lucro e tem prejuízo de R$ 161,3 milhões no primeiro trimestre

Rede afirma que o resultado reflete o aumento de despesas financeiras no período

Redação IF Publicado em 16.maio.2022 às 12h23
Sondagem da XP vê inflação no fim de 2022 maior do que projeção do último Focus

Divulgação do relatório do Banco Central está paralisada por causa da greve dos servidores

Manhã Inteligente Publicado em 16.maio.2022 às 10h50
Greve no Banco Central, dados econômicos de Brasil e EUA, novo índice agro na B3

Isabela Carvalho e Victor Vietti comentam esses e outros assuntos que podem afetar seus investimentos