PSDB deve definir nesta quinta apoio à pré-candidatura de Simone Tebet

O tucano Tasso Jereissati é favorito para ser vice na chapa com o MDB

Bloco formado por PSDB, MDB e Cidadania espera confirmar Simone Tebet como candidata à Presidência. Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Após duas semanas de discussões e ainda sem desfecho para impasses regionais, a Executiva Nacional do PSDB se reúne nesta quinta-feira para discutir o apoio à pré-candidatura da senadora Simone Tebet (MDB-MS) à Presidência da República. O debate será deflagrado na cúpula partidária mesmo sem a garantia do apoio do MDB à pré-candidatura do ex-governador Eduardo Leite (PSDB) ao governo do Rio Grande do Sul, uma das condicionantes impostas pelos tucanos para selar o apoio à emedebista.

A decisão de submeter o nome de Tebet à Executiva tucana nesta quinta-feira foi tomada após uma reunião entre os presidentes do PSDB, Bruno Araújo, do MDB, Baleia Rossi, e o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). O encontro ocorreu no gabinete de Tasso, cujo nome é o favorito para a vaga de vice na chapa encabeçada pela emedebista.

Uma ala do PSDB ainda defende que Tasso encabece a chapa. Mas essa configuração complicaria o acordo celebrado entre os dirigentes da terceira via, que contemplava como presidenciáveis, além de Tebet, o ex-governador João Doria, que se retirou da disputa há duas semanas, e o presidente do União Brasil, Luciano Bivar, que se lançou em voo solo. Além disso, familiares de Tasso fizeram um apelo para que o ex-governador do Ceará não se lançasse nessa empreitada.

“Nesse importante momento da história do país será encaminhado, nessa quinta-feira, na Executiva Nacional do PSDB a proposta de coligação com o MDB para eleição de Presidente de República com o nome da Senadora Simone Tebet”, diz a postagem feita no início da noite nas redes sociais do partido.

Fontes da cúpula do PSDB disseram ao Valor que a maioria do colegiado deve confirmar o apoio a Tebet, mas uma ala minoritária ainda gostaria de ter um quadro tucano concorrendo ao Palácio do Planalto. Por isso, uma liderança do partido observa que haverá debate na reunião de amanhã, com chances, até mesmo, de o desfecho ser adiado. Entretanto, este tucano ressalva que não haveria, neste momento, um nome competitivo no PSDB para liderar a corrida eleitoral, porque Leite decidiu que vai concorrer ao Palácio Piratini, e Doria não se viabilizou.

A reunião ocorrerá sem resolução para impasses regionais. No domingo, o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, afirmou em entrevista à Globonews, que o apoio dos tucanos a Simone Tebet não se viabilizaria sem a contrapartida no Rio Grande do Sul, ou seja: sem a garantia de que o MDB retiraria a pré-candidatura ao governo do deputado Gabriel Souza, para caminhar com Leite no Estado.

O diretório gaúcho do MDB não retirou o nome de Souza, mas fez gestos relevantes na direção do apoio ao tucano. Na terça-feira, Leite reuniu-se em Porto Alegre com lideranças do MDB local para viabilizar o acordo.

As conversas entre PSDB e MDB também avançaram em Minas Gerais, onde os emedebistas podem apoiar a pré-candidatura do ex-deputado Marcus Pestana ao governo. Nesta hipótese, o MDB indicaria o candidato a senador da chapa.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 17h45
Juros futuros fecham em queda, em linha com taxas dos títulos públicos globais

Medo de recessão nos EUA pesou mais do que riscos fiscais no Brasil

Papo de Finanças Atualizado em 02.jul.2022 às 08h21
Como as eleições interferem nos seus investimentos?

De alguma maneira, seu bolso será afetado pelas eleições do fim do ano. O que pode acontecer? Nina Silva explica

JOTA Publicado em 01.jul.2022 às 16h58
Semana política: PEC “vale-tudo” une governo e oposição por votos

Enquanto isso, em campanha, Lula acena a empresários e ao mercado, diz Fábio Zambeli, do JOTA

Valor Econômico Publicado em 01.jul.2022 às 11h39
Análise: PEC dos Combustíveis dificulta o trabalho do Banco Central para baixar a inflação

O assunto novo levantado pelo Copom em junho é o risco de as medidas colocarem o pé no acelerador da economia, num momento em que a política monetária pisa no freio

JOTA Publicado em 01.jul.2022 às 11h35
Análise: De olho no voto útil, Lula retoma pontes com empresários e empodera “guru” econômico

Ex-presidente, antes refratário a assumir compromissos na campanha, antecipa série de conversas com o PIB, diz Fábio Zambeli, do JOTA

Redação IF Atualizado em 01.jul.2022 às 15h13
Dólar dispara e supera R$ 5,33 com temores de recessão global no radar

Mercado também repercute aprovação de PEC que libera gasto bilionário às vésperas das eleições

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 10h21
Criptomoedas iniciam julho no vermelho com bitcoin abaixo de US$ 20 mil

Bitcoin teve sua pior perda trimestral em mais de uma década

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 07h41
Vivo emite R$ 3,5 bilhões em debêntures com metas ESG; saiba como funciona o investimento

A empresa firmou compromisso de elevar a participação de negros em cargos de liderança